Desembargador Rodrigo Bueno tem posse ratificada em sessão solene do Pleno

publicado 08/06/2018 19:38, modificado 11/06/2018 16:03

Fotos: Leonardo Andrade

O novo desembargador do TRT-MG, Rodrigo Ribeiro Bueno, teve sua posse ratificada durante sessão solene do Tribunal Pleno, na tarde desta sexta-feira (08), no plenário do 10º andar do edifício-sede do Tribunal, em Belo Horizonte. Na ocasião, ele recebeu a medalha da ordem do mérito judiciário desembargador Ari Rocha no grau Grã-Cruz.

O empossado contou toda a sua trajetória profissional até se apaixonar pelo Direito do Trabalho. “Estou assumindo esse cargo ciente da sua importância para a sociedade. Espero estar preparado para os desafios e conto com apoio dos colegas deste Regional, que é conhecido como um dos melhores do país”, destacou. Ele também lembrou que o Direito do Trabalho é fruto de muita luta histórica, desde a Revolução Industrial. Finalizou agradecendo o apoio dos pais e familiares durante a carreira.

Na abertura, o hino nacional foi executado em violino e teclado pelos músicos Cecília (filha do empossado) e Luiz Felipe Iani. O presidente do TRT-MG, desembargador Marcus Moura Ferreira, abriu a sessão solene lembrando que o objetivo é ratificar a posse do magistrado, ocorrida no gabinete da Presidência em 15 de maio. “Com muita satisfação vamos receber o novo desembargador que será conduzido ao assento que lhe é destinado na corte”, disse.

O empossado foi conduzido pela desembargadora Maristela Íris da Silva Malheiros. Ao final, desejou votos de êxito, alegria, saúde, felicidade profissional e pessoal na missão que assume.

Em seguida, o membro da Comissão de Relacionamento com o TRT da OAB-MG, Léucio Honório de Almeida Leonardo, afirmou que a posse do desembargador ocorre em um momento de apreensão para a advocacia trabalhista. “Temos apreensão em função da insegurança jurídica que se instalou desde a reforma trabalhista. A meu sentir, a advocacia trabalhista precisa de uma luz e espero que o empossado possa contribuir para isso”, disse.

Já o representante da Amatra3, juiz Marco Aurélio Treviso, frisou que a posse do novo desembargador "nos faz ficar muito bem representados no 2º grau de jurisdição”.

Em sua fala, a procuradora-chefe do MPT-MG, Adriana Augusta de Moura Souza, afirmou que o momento é de alegria e júbilo pelo fato de Rodrigo Bueno chegar a desembargador por merecimento. Essa posse acontece em um cenário de profundos questionamentos contra a Justiça do Trabalho. “O acesso aos tribunais, a um julgamento justo é consequência inafastável e é preciso construir uma jurisprudência pós-reforma trabalhista”, ressaltou.

Saudação

A saudação ao empossado foi feita pelo desembargador José Marlon de Freitas, que enfatizou que o momento é singular e inesquecível. “Rodrigo Bueno sempre teve destacada atuação na magistratura e suas qualidades são muito conhecidas. Seguiu o exemplo do pai na carreira de magistrado. É culto, dedicado, simples e traz consigo muita ponderação e equilíbrio, necessários nesses tempos. Pode arregaçar as mangas, porque temos muito serviço pela frente”, finalizou.

Compuseram a mesa de honra o presidente do TRT-MG, desembargador Marcus Moura Ferreira; o terceiro vice-presidente do TJMG, desembargador Saulo Versiani Penna, a procuradora-chefe do MPT-MG, Adriana Augusta de Moura Souza; a superintendente Regional do Trabalho substituta, Mônica Soares Lage Costa; o membro da Comissão de Relacionamento com o TRT da OAB-MG, Léucio Honório de Almeida Leonardo; o representante da Amatra3, juiz Marco Aurélio Treviso, e o juiz aposentado deste Regional e advogado Longuinho de Freitas Bueno (pai do empossado).

Após o término da solenidade, a filha do novo desembargador, Beatriz, prestou uma homenagem a sua mãe, Fabiana Bueno.

Currículo

O desembargador Rodrigo Ribeiro Bueno é formado pela Faculdade de Direito da UFMG. Antes de ingressar na magistratura trabalhista, foi promotor de justiça do Ministério Público de Minas Gerais, entre 1989 e 1991, quando foi aprovado em concurso público para juiz do trabalho substituto do TRT-MG. Foi promovido a juiz titular em 1993, tendo atuado nas Varas do Trabalho Almenara, Passos, Formiga, João Monlevade, Divinópolis, Betim e 46ª VT de Belo Horizonte. 

Com quase 27 anos de magistratura trabalhista, ele foi promovido pelo critério de merecimento para vaga decorrente da aposentadoria da desembargadora Mônica Sette Lopes. 

 Veja aqui a galeria de fotos. 

Visualizações:

Secretaria de Comunicação Social
Seção de Imprensa e Divulgação Interna
imprensa@trt3.jus.br