Como plantar as hortaliças

publicado 03/06/2018 09:51, modificado 06/06/2018 16:20

-Faça um canteiro ou preencha uma jardineira utilizando terra com alto teor de matéria orgânica. O canteiro deve ter, no mínimo, 30cm de profundidade. Uma semana antes do plantio, revolva bem a terra e misture 150g (1 copo) de esterco bem curtido ou húmus a cada m2 de canteiro. Espalhe as sementes e cubra com um pouco de terra. Irrigue com cuidado uma vez por dia, no início da manhã ou no final da tarde, sem encharcar. Considere a profundidade a que deve ficar a semente e o espaçamento entre as plantas na hora do transplante ou desbaste.

Obs: nenhuma planta precisa ser transplantada, basta envolvê-la com terra. É preciso fazer o desbaste para criar o espaçamento adequado. Nesse caso, vale a pena fazer o transplante das mudinhas retiradas ou doá-las. Não sendo possível nenhuma dessas alternativas, as plantas tenras são um excelente adubo. Deixe-as, então, sobre o canteiro.

 

Beterraba

As folhas da beterraba vão bem em sucos, saladas, farofas ou refogadas. No preparo da raiz, deixe 1cm do talo para garantir a cor e o sabor durante o cozimento.

  • Espaçamento: 20cm entre fileiras e 10cm entre plantas
  • Profundidade: 1cm.
  • Colheita: 65 a 75 dias.

 

Boca-de-Leão

Excelente para bordaduras de canteiros, jardineiras e vasos.

  • Espaçamento: 30cm entre fileiras e 20cm entre plantas.
  • Profundidade: 0,5cm

 

Camomila

A camomila é um delicioso chá com propriedades antiespasmódicas, digestivas e estimulantes. Recomendada nas enxaquecas do tipo nervoso, cólicas estomacais e menstruais, nos resfriados e gripes. É usada na homeopatia e como ingrediente de um dos preparados da Agricultura Biodinâmica.

  • Profundidade: 0,1cm (pode ficar descoberta, pois precisa de muita luz para germinar).
  • Espaçamento: 30cm entre fileiras e 25cm entre plantas.

 

Coentro

De aroma forte e ativo, vai bem no tempero das carnes brancas, molhos e saladas.

  • Espaçamento: 25cm entre fileiras e 10cm entre plantas.
  • Profundidade: 1cm
  • Colheita: 30 a 35 dias após a semeadura.

 

Cebolinha

Para obter talos longos e brancos, coloque terra à sua volta durante todo o cultivo.

  • Espaçamento: 20cm entre fileiras e 6cm entre plantas.
  • Profundidade: 1cm
  • Colheita: 90 a 100 dias após o plantio.

 

Cenoura

Excelente para a pele, vai bem em sucos, saladas, farofas, inclusive as folhas.

  • Espaçamento: 10cm entre fileiras e 10cm entre plantas.
  • Profundidade: 1cm
  • Colheita: 75 dias após o plantio.

 

Espinafre

Usado em sucos, saladas, refogado e cremes.

  • Espaçamento: 50cm entre fileiras e 10cm entre plantas.
  • Profundidade: 1cm
  • Colheita: 60 a 80 dias após o plantio.

 

Mostarda

Além de muito nutritiva, é rica em fibra, por isso regula a atividade intestinal.

  • Espaçamento: 30cm entre fileiras e 30cm entre plantas.
  • Profundidade:1cm

 

Nabo

Muito refrescante e nutritivo. Substitui bem a batata em muitos pratos, tendo a vantagem de ser menos calórico. Na medicina chinesa, tem ação desintoxicante.

  • Espaçamento: 10cm entre fileiras e 10cm entre plantas.
  • Profundidade: 1cm

 

Orégano

Erva perene, bastante aromática. Além de seu reconhecido uso na culinária, é utilizado na medicina natural como digestivo, expectorante, para dor de garganta e tosse.

  • Espaçamento: 40cm entre fileiras e 30cm entre plantas.
  • Profundidade: 0,5cm

 

Rabanete

Consumido cru, desenvolve os músculos mastigadores. Auxilia na prevenção de problemas de pele, estimula o apetite e o crescimento.

  • Espaçamento: 15cm entre fileiras e 5cm entre plantas.
  • Profundidade: 1cm
  • Colheita: 25 a 30 dias após o plantio.

 

Rúcula

Tem nutrientes semelhantes aos da mostarda. Vai muito bem em saladas, principalmente junto a alimentos de sabor adocicado. Espalhada sobre a pizza assim que sai do forno, confere-lhe um sabor muito especial.

  • Espaçamento: 20cm entre fileiras e 15cm entre plantas.
  • Profundidade: 0,5cm
  • Colheita: 40 a 60 dias após o plantio.

 

Salsa

Rica em vitamina A e C. Contém ferro, iodo e cobre.

  • Espaçamento: 20cm entre fileiras e 6cm entre plantas.
  • Profundidade: 0,5cm
  • Colheita: 60 a 70 dias após o plantio.

 

Sementes

 

Caesalpinia ferrea

  • Nomes populares: pau-ferro, jucá, ibirá-obi, imirá-itá
  • Coleta: Campus da UFMG, Pampulha, BH-MG, em 05.set.2008.

Árvore bastante ornamental, de longa durabilidade natural. Floresce a partir do final de novembro, prolongando-se até janeiro. Os frutos amadurecem em julho-agosto. Ocorre naturalmente na mata pluvial atlântica, sobretudo no Piauí, Alagoas, Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro. Prefere as várzeas úmidas e o fundo de vales. Atinge 10 a 15 metros de altura.

Orientações de plantio: quebrar o fruto com martelo para liberação das sementes, que devem ser escarificadas para aumentar a germinação. Semeá-las em canteiros semi-sombreados contendo terra e areia. Cobri-las com uma leve camada de substrato peneirado. Irrigar duas vezes ao dia.

 

Kielmeyera variabilis

  • Nomes populares: pau-santo, folha-santa, saco-de-boi, pau-de-são-josé
  • Coleta: Serra da Cantarela, Caeté-MG, em 16.ago.2008.

Típica do cerrado, é extremamente ornamental, embora não seja utilizada com esse fim. Quando os frutos amadurecem, as folhas caem e os frutos se abrem como uma flor de três pétalas, onde ficam grudadas as inúmeras sementes. Prefere lugares altos e bem drenados, ocorrendo naturalmente desde o Piauí até São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás, sempre em áreas de cerrado. Floresce durante os meses de novembro a janeiro e os frutos amadurecem em setembro-outubro. Tem de 3 a 6 metros de altura.

Orientações de plantio: semear em recipiente individual ou canteiro, com terra e areia, a pleno sol. Cobrir as sementes levemente com substrato peneirado e irrigar suavemente (para evitar o arranquio das sementes) duas vezes ao dia. O desenvolvimento das plantas é lento, tanto no canteiro quanto no campo. As sementes perdem o poder de germinação em 60 dias.

 

Stryphnodendron adstringens

  • Nomes populares: barbatimão, charãozinho-roxo, casca-da-virgindade.

Planta típica do cerrado, popularmente conhecida pelas suas características medicinais. A casca contém alto teor de tanino, tendo sido muito usada nas tinturas em geral. As vagens são tóxicas ao gado por causar-lhe fotossensibilização. Ocorre naturalmente do Pará até São Paulo e Mato Grosso do Sul, sempre no cerrado. A delicadeza das folhas e a forma arrendondada da copa conferem ao barbatimão qualidades ornamentais, embora não seja usada com essa finalidade. Sua altura não ultrapassa 5 metros.

Orientações de plantio: semear em recipiente individual ou canteiro, contendo terra e areia, em local semi-sombreado. Cobrir as sementes levemente com substrato peneirado e irrigar duas vezes ao dia. A taxa de germinação é elevada, mas o desenvolvimento é lento.

Obs: as sementes de todas essas árvores podem ser semeadas diretamente no local definitivo, desde que o berço seja bem preparado, com 60cm2 X 60cm, no mínimo, contendo terra, areia e substrato. A vantagem, nesse caso, é evitar o estresse do transplante. Ao germinar, a semente já estabelece sua orientação com as forças cósmicas e telúricas, sendo-lhe mais saudável permanecer no local definitivo. Caso seja necessário fazer a semeadura em canteiro, observar a orientação da planta em relação ao sol e respeitar essa orientação na hora do transplante. O mesmo é válido para a semeadura em  recipiente individual, evitando-se, inclusive, mudar o recipiente de lugar.

 

Responsabilidade Socioambiental socioambiental [arroba] trt3.jus.br