Consumo consciente e o material escolar

publicado 03/06/2018 09:51, modificado 03/06/2018 09:51

-Passadas as festividades do final de ano, as férias e o reinício das atividades, o Início de ano vem com as compras da lista de material escolar. Este é um bom momento para exercitar o consumo consciente e principalmente ensinar às crianças desde cedo, evitando o consumismo. O Instituto Akatu traz algumas dicas, vale a pena ler todo o artigo no site www.akatu.org.br. Confira e coloque em prática. O meio ambiente agradece!

 

Dicas e recomendações do Akatu para a compra de material escolar


(extraído do site www.akatu.org.br)

  • Analise a lista de material para ver se todos os itens solicitados devem realmente ser comprados ou se é possível usar os do ano anterior. Nem sempre é preciso adquirir uma nova mochila, pastas, estojos e até mesmo lápis de cor e canetas.
  • Dê preferência a produtos escolares que utilizam material reciclado em sua confecção, como cadernos e agendas, pois isso diminui o custo ambiental de sua fabricação ao reutilizar material que, de outra forma, viraria lixo.
  • Opte por usar lápis feito com madeira certificada. Esse lápis tem estampado no seu rótulo o selo FSC. Esse selo indica que aquele produto foi feito com madeira de manejo sustentável (tanto de mata nativa como de reflorestamento), cumprindo a legislação ambiental e a trabalhista e não contribuindo com o desmatamento ilegal.
  • Faça uma pesquisa em vários pontos de venda de sua região, pois a variação de preços entre os estabelecimentos costuma ser muito grande. Outra alternativa para diminuir os gastos no início das aulas é fazer compras coletivas para todos os alunos de uma classe, já que alguns estabelecimentos concedem bons descontos para grandes quantidades.
  • Antes de comprar os livros da lista, verifique se não podem ser emprestados da Biblioteca da escola ou da cidade. Os livros, se forem bem cuidados, podem ser repassados para os irmãos mais novos, para outras crianças ou contribuir para formar uma biblioteca comunitária.
  • Envolva as crianças e os adolescentes no processo de escolha do que será comprado. Explicar os impactos negativos e os positivos de cada opção, de maneira que o estudante entenda o porquê de cada escolha, facilita negociar. E ouvir o que o jovem tem a dizer é a garantia de que o diálogo está sendo estabelecido. Dessa forma, os pais podem ajudá-los a desenvolver uma relação mais saudável com o ato de consumo, desde a infância.
  • Aproveite as compras escolares para ensinar as crianças a fazer escolhas com critérios mais amplos do que apenas preço e qualidade ou a admiração por personagens famosos da TV e do cinema, buscando também englobar os impactos da fabricação dos produtos sobre a sociedade e sobre o meio ambiente. Geralmente, os produtos com personagens custam bem mais caro do que os produtos “genéricos”, mas a qualidade é semelhante.
  • No caso de cadernos, agendas ou estojos, pode-se comprar produtos de boa qualidade e mais baratos, sem os personagens de TV e cinema, e sugerir às crianças que encapem ou decorem esses materiais com um toque pessoal.
Responsabilidade Socioambiental socioambiental [arroba] trt3.jus.br