Alunos do ensino fundamental visitam TRT3

publicado 12/05/2016 14:49, modificado 12/05/2016 17:49
Alunos do ensino fundamental visitam TRT3 (imagem 1)

Nesta quinta-feira (12), o Programa Justiça e Cidadania, do Centro de Memória - Escola Judicial, retomou o contato com alunos do ensino fundamental, com a visita de 35 alunos, do 9º ano, do Colégio Loyola, acompanhados pelos professores Francisco Assunção e Luiz Alexandre Larcher.

O Programa foi reestruturado para o ano de 2016 e uma das propostas é atender com mais frequência estudantes dos ensinos fundamental, médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Os alunos assistiram a parte da sessão da 7ª Turma, presidida pelo desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto e, em seguida, participaram de uma visita guiados pelas servidoras Maria Aparecida Carvalhais Cunha e Bruna Marinho Valle Roriz, à exposição "Trabalho & Cidadania". Participaram também de uma audiência simulada conduzida pela atual coordenadora acadêmica da Escola Judicial, a juíza Maria Raquel Ferraz Zagari Valentim, titular da 5ª Vara do Trabalho de Juiz de Fora.

A magistrada afirmou que "sempre tive especial carinho e atenção com o programa Justiça e Cidadania, na medida em que aproxima nosso Tribunal do cidadão e da sociedade em geral, exibindo nosso dia a dia e demonstrando nossa vontade de fazer o melhor na realização da Justiça".

Quando questionada sobre a importância dos alunos do ensino fundamental terem contato com a Justiça do Trabalho, a juíza disse que "o adolescente está às vésperas do ensino médio, quando a decisão da atividade profissional começa a se tornar imperiosa e esta  experiência pode assumir especial relevância na opção de carreira. Por outro lado, mesmo no caso de não ser esta a vocação, a lembrança fica marcada na memória e é importante - sobretudo para nós - que seja uma memória positiva!".

"Fui surpreendida de forma muito positiva pela firmeza e desembaraço dos "advogados, partes e testemunhas", que mais pareciam estudantes de direito...Além disso, a discussão sobre o cabimento ou não do acordo, assim como seu valor, envolveu os presentes e os jovens participaram de forma efetiva e calorosa", comentou a juíza Maria Raquel Ferraz Zagari Valentim."A turma que aqui se fez presente era não só extremamente capaz, mas também dedicada e centrada na experiência", completou.

(Foto: Leonardo Andrade)

Visualizações: