Cultura popular e literatura de cordel são destaque na 6ª Literária

publicado 11/11/2016 13:44, modificado 11/11/2016 15:44

"Um poeta popular e artista múltiplo". Assim podemos definir o servidor aposentado Olegário Alfredo, que palestrou na tarde desta feira (11), em mais uma edição do projeto 6ª Literária, no hall de entrada do prédio da Rua Goitacases. Ele falou sobre cultura popular e cordel: "Nós temos que valorizar a nossa cultura popular", enfatizou.

Ele explicou que os cordéis tratam de temas variados, mas que procura sempre utilizar na obra dele uma linguagem, inclusiva, falando sobre o negro e o índio, por exemplo. A palestra foi permeada por leituras de alguns cordéis produzidos por ele, inclusive alguns voltados para as crianças.

"A literatura de cordel pode ser trabalhada em sala de aula, unindo a música e o teatro. Brincando com o cordel, aprendemos a rimar e as crianças adoram", explicou.

Olegário Alfredo também fabrica e toca instrumentos, como a rabeca, que se parece com um violino, e berimbau. Ao final, ele tocou algumas músicas para os convidados, explicando a ligação com a cultura popular. "O berimbau é muito utilizado na capoeira, que é parte da cultura popular. Eu fabrico rabeca, toco e tiro do próprio bolso o recurso para imprimir os meus cordéis, que vendo para os que se interessam", contou.

Criatividade

A tia de um servidor da Justiça do Trabalho, Luzanira Ferreira da Rocha, foi convidada a participar do evento e gostou muito. "Sou de Goiás, estou passeando em BH e recebi o convite para prestigiar. O que mais me chama a atenção é a criatividade das obras do Olegário". Ela conta ainda que tomou gosto pela literatura de cordel ainda criança, quando o pai a incentiva a lê-los. "Agora procuro transmitir o gosto por esse tipo de leitura e a importância dos cordéis para os meus filhos", falou.

Já o servidor da Secretaria de Pessoal, Ricardo de Paula Vieira, disse que sempre participa desses eventos literários. "Acho de fundamental importância a valorização da cultura popular e a preservação da cultura oral. Achei muito interessante a utilização do cordel como uma ferramenta pedagógica para ser trabalhada na sala de aula, pois induz as crianças a pensarem e produzirem", concluiu.

Olegário Alfredo escreve cordel há mais de 30 anos e é um artista múltiplo. É autor também de outros estilos de literatura, toca e constrói instrumentos musicais, além de ser membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel. Ele possui em torno de 140 publicações de cordel. Quem quiser conhecer mais o trabalho desse artista basta conferir o site dele, aqui .

Confira aqui a galeria de fotos.

Visualizações: