Giboski negocia em Brasília prédio para instalar varas da capital

publicado 13/11/2006 11:08, modificado 13/11/2006 13:08

Os juízes Tarcisio Alberto Giboski, presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, e Jorge Berg de Mendonça, estão em Brasília, nesta segunda-feira, 13, para audiência com o ministro da Educação, Fernando Haddad. O objetivo do encontro é manifestar o interesse do TRT pela aquisição do prédio da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para nele instalar as varas do Trabalho de Belo Horizonte.

Na audiência, os magistrados mineiros vão estar acompanhados do ministro Ronaldo Leal Lopes, presidente do Tribunal Superior do Trabalho, empenhado também na mudança das 40 varas do Trabalho da capital para outro local, já que o atual fórum esgotou a sua capacidade de atendimento. O prédio que já estava acanhado para acomodar sua enorme demanda, tornou-se inviável, sobretudo, após a instalação, no ano passado, de mais cinco varas do Trabalho, o que aumentou, ainda mais, o já intenso movimento diário de servidores e usuários da Justiça do Trabalho mineira que trabalham ou freqüentam a Primeira Instância.

Por ser considerado o local ideal para a instalação das varas da capital, a proposta de aquisição do prédio da UFMG, após ser aprovada, por unanimidade pelos juízes do TRT, em sessão do Tribunal Pleno realizada no último dia 8, foi levada ao conhecimento dos professores Tadêu Pena, reitor da UFMG, e Fernando Amorim de Paula, diretor da Escola de Engenharia, na sexta-feira passada, dia 10.

O interesse pelo prédio da Engenharia é justificado - principalmente - pela sua excelente localização no centro da cidade, área que está sendo revitalizada, de fácil acesso aos usuários da Justiça do Trabalho que terão à disposição, inclusive, uma estação de metrô e que pertence ao complexo da histórica Praça da Estação.

A conclusão do negócio é esperada com ansiedade e a mudança de endereço do prédio da Primeira Instância vai cumprir uma das metas estabelecidas pela atual administração do TRT.

Visualizações: