Melhoria das condições de trabalho na Justiça é destaque durante encontro realizado em BH

publicado 01/01/2008 21:44, modificado 20/09/2018 15:33

Encerrado na última sexta-feira, dia 18, pelo presidente do TRT-MG, o XI Encontro Nacional de Diretores-Gerais e o III Encontro Nacional de Recursos Humanos e Saúde da Justiça do Trabalho , que reuniu representantes de todos os Tribunais Regionais do Brasil, no Hotel Mercure, em Belo Horizonte, desde o dia 16.

Além da presença de diretores-gerais dos 24 Regionais do Trabalho do país, também participaram servidores das áreas de Recursos Humanos e de Saúde da Justiça do Trabalho de diversos estados. A troca de experiência sobre os projetos desenvolvidos e ações de gestão pública foi a tônica do encontro, além de apresentação de trabalhos levados pelos participantes.

Durante os três dias, foram abordados temas como Qualidade no Serviço Público, Transformação do Sofrimento e Adoecimento na Gestão do Trabalho, Implementação do PCS, Políticas de Recursos Humanos e Saúde, Qualidade de Vida no Trabalho .

Desafio da mudança

O Presidente do TRT-MG, desembargador Tarcísio Alberto Giboski, lembrou, ao encerrar o evento, que um dos principais desafios para os administradores é a mudança de cultura nas organizações, especialmente no serviço público, “uma árdua tarefa”, enfatizou. Ele considerou o encontro um grande sucesso, resultante do esforço conjunto de todos os servidores envolvidos na organização.

Idéias que incentivam

O diretor-geral do TRT-MG, Luís Paulo Garcia Faleiro, avaliou como muito positivo o encontro, em razão da integração, da troca de idéias e do grande incentivo às mudanças para melhorar as condições de trabalho na justiça. “A partir desse encontro, surgem diversas idéias de melhoria dos sistemas e do processo de trabalho, que vão contribuir para aprimorar a prestação jurisdicional, pois, somente um servidor satisfeito com as condições de trabalho pode produzir e atender bem o serviço,” finaliza.

O diretor-geral do TRT da 1ª Região, Jorge Fernandes, agradeceu a hospitalidade dos mineiros e destacou o encontro como um dos melhores já realizados, em termos de aproveitamento. Fernandes defende que os Tribunais se unam para aumentar a eficiência e reduzir trabalhos repetidos, especialmente, na área de gestão. “Muitos Regionais desenvolvem projetos sem saber o que o outro está realizando. Se houver mais integração, podemos aproveitar as melhores práticas de gestão e implantar em toda a Justiça do Trabalho, evitando assim, gastos com um mesmo projeto desenvolvido várias vezes em diversos Tribunais”, afirma.

Também para o diretor de Coordenação Administrativa do TRT-MG, Ricardo Wagner Rodrigues de Carvalho, a oportunidade de trocar experiências, principalmente sobre questões práticas, que podem ser aplicadas no dia-a-dia das instituições, foi o grande destaque do evento. Como exemplo, Carvalho cita a transferência da administração do Almoxarifado para a Empresa Brasileira de Correios, na 3ª Região, uma das medidas que mais despertou interesse dos participantes. Outra ação do TRT-MG que chamou atenção foi o Programa de Gestão Financeira e Projeto de Vida, desenvolvido pela Diretoria de Recursos Humanos . O Programa, implantado na 3ª Região há seis anos, visa a orientar o servidor sobre a gestão e o planejamento de sua vida financeira, assim como propiciar uma reflexão acerca da relação desse planejamento com o seu projeto de vida profissional e pessoal.

Saúde mental preocupa

“ A troca de experiências é importante, pois abre caminho para criar mais condições de promover a saúde, já que nossa preocupação hoje é muito essa, do que combater a doença”. A afirmação é do diretor da Secretaria de Saúde do TRT-MG, Geraldo Mendes Diniz. De acordo com ele, a saúde mental foi o tema de maior relevância discutido pelos profissionais da área no encontro. Diniz conta que a saúde mental é uma grande preocupação, tanto na 3ª Região, como em outros tribunais, já que a depressão, a desmotivação e a tristeza são os sintomas de maior incidência entre os servidores e os esforços têm se concentrado em ações para melhorar o quadro e reduzir a incidência desses casos, promovendo mais saúde.

Atuação estratégica de RH

De acordo com o diretor da Secretaria de Recursos Humanos, Sílvio Túlio Peixoto, outro assunto importante abordado foi a necessidade da atuação mais estratégica da área de RH nas instituições, não se restringindo apenas a atender as rotinas, mas também visando aos resultados pretendidos pela instituição.

Regulamentação do PCS

A regulamentação do PCS, implantado pela Lei 11.416/06, também foi abordada. Três grupos foram formados durante o encontro, segundo a assessora de RH do Conselho Superior da JT, Ana Cláudia Braga Mendonça, com objetivo de discutir as diretrizes para a regulamentação do Adicional de Qualificação. Alguns regionais já estão adiantados com o processo, como é o caso do TRT-MG, que possui levantamento preliminar sobre o AQ, mas outros ainda não conseguiram avançar na matéria, conforme esclarece Ana Cláudia. De acordo com ela, o CSJT divulgou quatro atos regulamentares e outros quatro serão publicados em breve, mas ainda assim, algumas questões pendem de regulamentação, por isso, o Conselho vai orientar os Regionais.

Visualizações: