Diretores do TCU visitam Centro de Logística Integrada do TRT-MG

publicado 19/09/2012 13:35, modificado 19/09/2012 16:35

Conduzidos pela diretora da Secretaria de Material e Patrimônio do TRT-MG, Cláudia Sampaio Gonçalves, os diretores de Material e Patrimônio e de Serviço de Gestão de Material do Tribunal de Contas da União - TCU, João Corrêa da Silva e Luiz Ronaldo Oliveira Melo, visitaram, nesta quarta-feira, 19, em Contagem, o Centro de Logística Integrada - CLI, criado pelos Correios para o TRT da 3ª Região.

Diretores do TCU visitam Centro de Logística Integrada do TRT-MG (imagem 1)

O objetivo da visita, segundo o diretor João Corrêa da Silva, foi conhecer o serviço, que poderá se tornar modelo para o TCU. "Queremos implantar o mesmo sistema e, como o TRT de Minas foi pioneiro no Brasil e a iniciativa está dando certo, viemos avaliar a possibilidade de fazer o mesmo. Tivemos uma boa impressão do trabalho que é realizado aqui e vamos levar ao conhecimento da Administração do TCU". Para ele, a centralização do setor vai proporcionar a redução de custos com estocagem, desocupar espaços e liberar servidores, que podem ser reaproveitados em outras áreas. "O armazenamento custa muito caro para o TCU, uma vez que temos unidades em todas as capitais. Um Centro de Logística Integrada facilitaria o atendimento a essas unidades, garantindo mais rapidez, segurança e rigor no controle do estoque".

O CLI do TRT-MG foi criado em 2007, quando todo o material, de consumo e permanente, estocado pelo Tribunal foi transferido para o galpão da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, após assinatura de um convênio entre as duas instituições. A partir de então, o armazenamento, a distribuição e o transporte desse material ficou a cargo dos Correios. O subsecretário de Patrimônio do TRT, Silvano Lúcio de Souza, explicou que a distribuição de materiais de consumo, equipamentos de informática e bens permanentes para as unidades do Tribunal era feita por rotas traçadas trimestralmente, o que gerava gastos com diárias, hospedagens, administração e manutenção da frota etc. "Observamos resultados imediatos como, por exemplo, a diminuição significativa no tempo de entrega de materiais: se antes, uma unidade do interior esperava até três meses para receber material de uso contínuo, agora essa espera dura, no máximo, cinco dias úteis".

A visita foi acompanhada também pelos supervisores de Logística Integrada dos Correios, Roger Roberto Martins e Wanderley Ferreira Braga. (Texto e fotos: Márcia Barroso/Revisão: Anya Campos)

Visualizações: