Sumaríssimo no Chile dura apenas 3 dias

publicado 10/05/2012 16:02, modificado 10/05/2012 19:02
Sumaríssimo no Chile dura apenas 3 dias (imagem 1)

As sessões de hoje, dia 10, do Pleno e do Órgão Especial do TRT-MG, foram prestigiadas pela juíza do trabalho de Santiago do Chile, Paola Días Urtubia, que aproveitou sua estada na capital mineira para conhecer as atividades da Justiça do Trabalho de Minas.

Pela manhã, a magistrada chilena debateu a execução da sentença trabalhista no Cone Sul, durante sua participação no 1º Congresso Internacional de Direito e Processo do Trabalho, promovido pela OAB-MG. Segundo Paola, lá no Chile existem apenas 84 juizes do trabalho, sendo 26 em Santiago. Ela ficou impressionada com o preparo acadêmico dos juízes brasileiros, que têm mestrado, doutorado etc. O uso da toga também lhe chamou a atenção, uma vez que não há esse costume em seu país.

Com o processo trabalhista no Chile, quem deve ficar impressionado é o legislador brasileiro. "No hay recursos en Chile. No hay segundo grado", afirmou ela, acrescentando que lá o processo sumaríssimo demora apenas 3 dias, e que os de rito ordinário são encerrados em no máximo 71 dias, entre a demanda e a sentença já com ordem de execução. A maioria das causas de lá, de acordo com ela, são referentes a pisos trabalhistas e acidentes do trabalho. (Fotos: Leonardo Andrade)

Visualizações: