Nota de esclarecimento sobre a paralisação dos metroviários

publicado 11/06/2006 21:00, modificado 12/06/2006 00:00

A juíza Maria Laura Franco Lima de Faria, vice-presidente judicial do TRT de Minas Gerais, no sábado, 10 de junho, às 14h30, acolheu, na íntegra, pedido liminar formulado na Ação Cautelar, apresentada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) às 12h30, do mesmo dia, para que fosse garantido o funcionamento mínimo do Metrô de Belo Horizonte em face da previsão de paralisação total desse serviço por parte da categoria, a partir de zero hora desta segunda-feira.

Às 15h30 do mesmo dia, dois oficiais de justiça, da Justiça do Trabalho, dirigiram-se ao Sindimetro, e depois aos endereços residenciais de três de seus dirigentes, sem, contundo, obter êxito em sua missão, já que não foram os mesmos encontrados sequer em suas residências, quer no sábado quer no domingo quando repetiram a tentativa.

Apenas nesta segunda-feira, 12 de junho, o oficial de justiça conseguiu efetuar a citação do sindicado dos metroviários, dando-lhe ciência da liminar deferida que assegurou a escala mínima de funcionamento do transporte, antes da assembléia da categoria, que será realizada às 16h30.

No mesmo sábado, foram também expedidas notificações à BHTRANS, para reforço de ônibus, e à Polícia Militar de Minas Gerais para preservar a segurança e o transporte da população.

Visualizações: