TRT-MG sedia encontro de centros de memória e museus mineiros

publicado 03/08/2018 17:43, modificado 21/10/2018 11:00

800px1_2018_0802_Remig_Memoria_LA.jpg
A palestrante Patrícia Costa de Alcântara - Foto: Leonardo Andrade
 

“As memórias (individuais, institucionais ou coletivas) são frágeis. Elas precisam ser guardadas, preservadas, recontadas”, disse Patrícia Costa de Alcântara, doutoranda em História pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), em palestra realizada durante a reunião da Rede de Memória das Instituições de Minas Gerais (Remig), que aconteceu na tarde dessa quinta-feira (02) no Centro de Memória - Escola Judicial do TRT-MG.

A Remig é uma rede de cooperação técnica formada por entidades públicas e privadas comprometidas com a preservação da memória institucional em Minas Gerais, como TRT-MG, Fiemg e Sesc. Em suas reuniões mensais são discutidas ações que promovam o fortalecimento dos museus e centros de memória. Os encontros também possuem caráter formativo, com palestras sobre temas relacionados às organizações que sediam cada edição.

Durante a palestra no TRT-MG, Patrícia Alcântara enfatizou a importância de preservar o acervo da Justiça do Trabalho mineira. “O resgate dos arquivos documentais sobre processos trabalhistas realizados no estado de Minas Gerais contribui para pesquisas em diversas áreas do conhecimento”, disse a pesquisadora, que desenvolveu sua dissertação de mestrado (Os conflitos de um conflito: processos trabalhistas ajuizados nas juntas de conciliação julgados em Belo Horizonte durante a Segunda Guerra Mundial) a partir dos documentos do acervo.

De acordo com Bruna Roriz, historiadora do Centro de Memória - Escola Judicial do TRT-MG, a instituição passou a fazer parte da Remig em 2003. “Para nós, a participação do Centro de Memória na Remig é de grande interesse porque essa rede fortalece as instituições, principalmente por meio da troca de experiências, uma vez que os centros de memória e museus integrantes desenvolvem atividades afins e enfrentam desafios semelhantes”, destacou.

Conheça o Centro de Memória do TRT-MG.

Visualizações:

Seção de Imprensa imprensa [arroba] trt3.jus.br