Livro parado é livro morto: TRT-MG faz campanha de doações para suas bibliotecas livres

publicado 23/07/2015 11:38, modificado 23/07/2015 14:38
Livro parado é livro morto: TRT-MG faz campanha de doações para suas bibliotecas livres (imagem 1)

O que têm em comum um tanque de guerra, um orelhão, uma geladeira, um táxi, um açougue, um jegue e uma borracharia? A princípio, nada. Mas, você sabia que existem bibliotecas livres funcionando em lugares tão variados como esses? E que Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (MG) já possui quatro bibliotecas livres? Trata-se do Projeto Caminho das Letras, já implantado nos prédios da sede e do anexo do tribunal à Avenida Getúlio Vargas, e nos prédios da Rua Goitacases e da Rua Curitiba, bem como no recém inaugurado no Foro Trabalhista de Uberaba. Um dos objetivos do projeto, agora, é estendê-lo também para outros prédios da Justiça do Trabalho em BH e todas as cidades do interior onde há Varas do Trabalho.

Agora, a fim de impulsionar ainda mais o Caminho das Letras, a Biblioteca do TRT 3ª Região/Escola Judicial lança uma campanha interna de doação de obras literárias. Os magistrados, servidores, terceirizados e estagiários do Tribunal que fizerem doações de livros de literatura concorrerão ao sorteio de um aparelho de jantar. Cada doador concorrerá em número de vezes igual ao de obras doadas, as quais podem ser enviadas até o dia 20 de agosto, por malote, para a Biblioteca (Rua Curitiba, 835 - 3º andar/BH). O sorteio será no dia 3 de setembro próximo.

Para manter o Projeto Caminho das Letras, os seus organizadores contam com doações mesmo após a realização do sorteio. Livro parado é livro morto: o importante é que os livros circulem e que o maior número de pessoas possa vivenciar o prazer de uma boa leitura.

E então, vamos todos participar desta campanha e trilhar esse Caminho das Letras?


As bibliotecas livres

Prática internacional, com formatos diversificados e sugestivos, as bibliotecas livres podem ser encontradas mundo afora, e também aqui no Brasil, nos mais incomuns e diminutos espaços físicos.

Fundamentada no incentivo à leitura e na reciprocidade, uma biblioteca livre consiste, basicamente, em disponibilizar para o público obras adquiridas por doação (romance, ficção, poesia, poemas, dentre outros). Os leitores são convidados a ler, cuidar bem dos livros e devolvê-los. Os empréstimos são feitos sem formalidades ou prazos para devolução. Nada de registros, nem carteirinhas, apenas o compromisso de que os livros livres sejam devolvidos e a expectativa de que os participantes também doem obras para perpetuar a biblioteca.

Visualizações:

Seção de Imprensa imprensa [arroba] trt3.jus.br