Placa registra primeira audiência PJe em varas da capital

publicado 20/04/2015 11:19, modificado 20/04/2015 14:19
Placa registra primeira audiência PJe em varas da capital (imagem 1)
Foto: David Landau

Foi realizada nesta segunda-feira (20) a audiência do primeiro processo em formato PJe da 1ª Instância de Belo Horizonte. A sessão da ação que tramita desde 24 de março último iniciou às 8h30, na 3ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte.

Logo após a audiência, em evento com a participação de autoridades, o autor do processo, sr. Bráulio Moura de Morais - a convite da presidente do TRT-MG, desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria - descerrou a placa que, no hall do Fórum Trabalhista (na av. Mato Grosso, 468), passou a registrar a importância histórica da data em que o PJe foi implantado nas 48 varas da capital.

Placa registra primeira audiência PJe em varas da capital (imagem 2)
Reprodução TV/TRT

A chegada do PJe a Belo Horizonte marca um divisor de águas para a Justiça do Trabalho de MG, segundo a presidente do Tribunal. Em entrevista à TV-TRT, a desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria disse que está otimista, esperando mais agilidade e facilidades com o novo sistema de tramitação eletrônica de processos.

Depois da instalação na capital, o PJe já chegou a Araxá e Juiz de Fora, passando a abranger 120 das 158 varas trabalhistas de Minas Gerais. Até o final de abril, o sistema eletrônico estará em mais cinco varas: as quatro de Coronel Fabriciano terão a implantação no dia 29, e a de Muriaé passará a atuar com PJe a partir do dia 30.

Além da participação da presidente do TRT-MG e do autor da primeira ação de Belo Horizonte iniciada em formato PJe, o evento de descerramento da placa também contou com a presença da corregedora do Tribunal, desembargadora Denise Alves Horta; do vice-corregedor, desembargador Ronan Koury; do coordenador do Comitê Regional do PJ-e, desembargador Ricardo Mohallem; do diretor do Foro de Belo Horizonte, juiz Danilo Siqueira de Castro Faria; do magistrado que coordenou a audiência, juiz Charles Etienne Cury; do representante do MPT, procurador Genderson Silveira Lisboa; do diretor-geral do Tribunal, Ricardo Oliveira Marques; da diretora judiciária, Telma Bretz Pereira; do diretor de tecnologia da informação e comunicações, Gilberto Atman Picardi Faria, da servidora Renata Oliveira Miguel, representando a secretária de apoio judiciário, Denise Maria Reis Grego; dos advogados que acompanharam a audiência, Pedro Gustavo Sarmento e Bernardo Saletti; e de demais magistrados, servidores, advogados, jurisdicionados e jornalistas.

O trabalho de qualificação do corpo funcional do TRT para o processo eletrônico iniciou em 2012 e, a partir de julho último, passou a ter um novo formato, sendo assumido por um grupo de servidores. Antes disso, o treinamento era de responsabilidade dos magistrados. O grupo de formadores, hoje com 15 membros, é coordenado pela Escola Judicial e até o final deste ano terá percorrido todo o estado de Minas Gerais. (David Landau)

Visualizações: