Presidente do TRT3 e servidores se qualificam para e-Gestão

publicado 09/11/2015 15:11, modificado 09/11/2015 17:11
Presidente do TRT3 e servidores se qualificam para e-Gestão (imagem 1)
Foto: Carolina Lobo

A Escola Judicial do TRT-MG promoveu nesta segunda-feira (9) curso que prepara servidores para utilizar o Sistema de Gerenciamento de Informações Estatísticas da Justiça do Trabalho (e-Gestão). O treinamento consiste num único encontro e foi ministrado em duas turmas, uma que se reuniu pela manhã e a outra pela tarde, cada uma com 29 servidores da área-fim de 1ª e 2ª instâncias do Tribunal. A turma da tarde foi prestigiada com a participação, como aluna, da presidente do TRT3, desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria.

O sistema e-Gestão começou a ser instalado nacionalmente na Justiça do Trabalho em 2008 para gerenciar as unidades das áreas judiciária e administrativa. Em 2013, após um período de migração, ele passou a ser obrigatório em todos os TRT´s. Nas secretarias de varas e nos gabinetes, o sistema registra entrada e saída de processos, acompanha todo o andamento, controla os prazos e verifica onde está o gargalo do fluxo de trabalho, entre outras tarefas.

A utilização do sistema possibilita obter um retrato atualizado da produtividade. Com uma estrutura de pastas e subpastas, semelhante à utilizada na visualização de arquivos gravados no computador, o usuário pode acessar relatórios de processos com registros de erros de validação, pendências de magistrados e prazos vencidos.

Presidente do TRT3 e servidores se qualificam para e-Gestão (imagem 2)
Foto: Leonardo Andrade

A coordenadora do Comitê Nacional do Sistema e desembargadora do TRT/DF, Maria Regina Machado Guimarães, explica que os dados alimentados nas unidades e aglutinados em cada Regional são, posteriormente, enviados para a Corregedoria do TST, que os totaliza nacionalmente. Ela ressalta a importância do envolvimento de magistrados e servidores, que precisam conhecer a ferramenta. O curso, segundo ela, propicia que magistrados e servidores possam, com o sistema, auxiliar na coleta de dados estatísticos da Justiça do Trabalho. A magistrada também lembrou que o curso está sendo ministrado a partir de uma demanda da desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria, que participou do curso oferecido a presidentes e corregedores no Coleprecor.

Quando implantado, o e-Gestão substituiu antigos registros manuais, como os realizados no chamado "livro preto". Desde maio último, o sistema também passou a funcionar integrado aos processos do PJe. Conforme a magistrada do TRT/SP que também ministra aulas no curso, juíza substituta Roberta Carolina de Novaes, o procedimento escrito utilizado antigamente era passível de erro, enquanto o atual tem precisão de praticamente 100%.

Em relato gravado, o presidente do TST, ministro Antônio José de Barros Levenhagem, afirma que a ferramenta revela um panorama de toda a Justiça do Trabalho, mas não funciona a contento se não houver um grupo de servidores responsáveis por alimentar os dados. A Campanha Lance Certo, incentiva a inserir as informações no sistema sem atrasos.

O treinamento organizado pela Escola Judicial permite que os participantes possam vir a utilizar a ferramenta para acessar e organizar informações e visualizar dados, além de levar ao conhecimento dos alunos algumas funcionalidades básicas presentes nos relatórios do sistema. Com carga horária de quatro horas, o curso tem como instrutores, além das magistradas acima mencionadas, o diretor da 6ª Vara do Trabalho de Brasília, Marco Aurélio Willman Saar de Carvalho; o supervisor da Seção de Acompanhamento Estatístico dos TRTs da Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST, Sandro Magnos Karkow; o supervisor da Seção de Acompanhamento Estatístico das Varas do Trabalho da Coordenadoria de Estatística e Pesquisa do TST, Diêgo Carneiro Lopes; e o chefe da Seção SCSJU/CDCIS/SETIN/TRT 10ª Região, Nilton Lacerda Wanderlei. (David Landau)

Visualizações: