Servidora defende primeira tese de doutorado em cotutela internacional na Itália

publicado 02/02/2016 17:04, modificado 02/02/2016 19:04
Servidora defende primeira tese de doutorado em cotutela internacional na Itália (imagem 1)

Com o tema "A aplicação das normas internacionais de proteção contra a discriminação de gênero e sua aplicação no Brasil e na Itália: o possível papel das redes internacionais de juízes e da cooperação judiciária como garantia de maior efetividade", a analista judiciário Raquel Betty de Castro Pimenta defendeu, no final de janeiro, a primeira tese de doutorado em cotutela internacional entre o Programa de Pós-Graduação em Direito da UFMG e a Università degli Studi di Roma Tor Vergata, na Itália.

Após a apresentação em italiano, seguida por discussão sobre a tese com indagações dos examinadores em italiano e português, a candidata foi considerada aprovada com a nota máxima "eccellente qualità con lode". A servidora trabalha como assistente do Desembargador Luiz Otávio Linhares Renault e desenvolveu sua pesquisa em cotutela internacional, sob orientação conjunta da professora e Juíza do Trabalho Adriana Goulart de Sena Orsini (UFMG) e o professor Giancarlo Perone (Tor Vergata).

Participaram da comissão examinadora, além dos dois orientadores, os professores Paolo Papanti-Pelletier (Tor Vergata), Carlo Pisani (Tor Vergata), o professor e Juiz do Trabalho Antônio Gomes de Vasconcelos (UFMG) e o professor e Desembargador do Trabalho aposentado Márcio Túlio Viana (PUC-MG).

Cotutela internacional

A cotutela internacional significa a realização do doutorado em ambas as universidades, com acompanhamento de dois orientadores em isonomia científica, e cumprimento dos créditos e requisitos exigidos pelos dois programas de doutorado.

Foram cursadas disciplinas dos dois cursos, e cumpridos os requisitos de aprovação em dois Exames de Qualificação pela UFMG, cujos examinadores foram a orientadora brasileira, Adriana Goulart de Sena Orsini, e os professores da UFMG, Antônio Gomes de Vasconcelos e Tereza Cristina Sorice Baracho Thibaue de aprovação por uma banca de validação externa italiana, composta pelas professoras Iolanda Piccinini, da Libera Università Maria SS Assunta di Roma e Maria Novella Bettini, da Università del Molise.

Visualizações:

Seção de Imprensa imprensa [arroba] trt3.jus.br