Acordo entre Sinpro e Univale salda mais de R$ 14,5 milhões em dívidas

publicado 11/06/2014 11:28, modificado 11/06/2014 14:28

A Fundação Percival Farquhar, mantenedora da Universidade Vale do Rio Doce (Univale) de Governador Valadares/MG, e o Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro) celebraram na tarde de hoje um acordo em audiência presidida pelo desembargador José Murilo de Morais, 1º vice-presidente do TRT, apoiado pelo diretor do foro da capital, juiz Danilo Siqueira de Castro Faria.

A conciliação envolve mais de R$ 14,5 milhões e decorre de processo ajuizado em 1997 pelo sindicato, em nome de 167 professores da instituição. Mais de R$ 4 milhões, já recolhidos pela Justiça do Trabalho, serão quitados num primeiro momento. O resto dos débitos será pago em dinheiro ou com lotes de um terreno, dependendo da opção de cada um dos reclamantes. O objeto da ação envolve diferenças salariais decorrentes de reajustes previstos por convenções coletivas.

Em 2008, a fundação já havia celebrado um acordo com esses trabalhadores, que acabou sendo frustrado devido a alegadas dificuldades financeiras. O documento assinado e homologado judicialmente hoje decorre do esforço da nova administração da reclamada que desde 2012, quando assumiu a gestão da fundação, vem se esforçando em tratativas, junto ao sindicato, para resolver o problema dos débitos trabalhistas.

Acordo entre Sinpro e Univale salda mais de R$ 14,5 milhões em dívidas (imagem 1)
O desembargador José Murilo de Morais, 1º vice-presidente do TRT, apoiado pelo diretor do foro da capital, juiz Danilo Siqueira de Castro Faria, conduziu a audiência do acordo

A Univale administra cursos de graduação, de pós-graduação e técnicos, com mais de cinco mil e duzentos alunos. O esforço para alcançar um acordo como o alcançado nesta terça-feira tem sido defendido por diversas personalidades locais, por permitir que a Fundação continue cumprindo seu papel social. (David Landau / fotos: Leonardo Andrade)

Visualizações: