Falta de padronização dos textos dificulta a pesquisa e a recuperação das informações desejadas

publicado 21/03/2013 15:52, modificado 21/03/2013 18:52

A assertiva do título, de autoria da bibliotecária da Escola Judicial do TRT da 3ª Região Ana Maria de Araújo, evidencia a importância do curso ministrado na tarde de hoje, dia 21, na sede da escola, em Belo Horizonte, sob o título "Metodologia de Pesquisa - Ferramentas Eletrônicas", dirigido a magistrados e assistentes. Ana falou sobre as normas da ABNT, abrindo debate entre os presentes sobre a possibilidade de aplicá-las nas decisões judiciais, enquanto o assistente da 13ª VT da capital, Emanuel Moura, discorreu a respeito das ferramentas de busca e armazenamento de dados, mais especificamente busca de jurisprudência e armazenamento de decisões.

Emanuel concorda com a bibliotecária quando ela diz que "a falta de padronização dificulta a pesquisa e a recuperação das informações desejadas". Segundo ele, "o uso de normas técnicas de redação torna possível e bem mais conveniente a citação tanto dentro dos nossos trabalhos quanto dos nossos trabalhos em outras obras". Quanto ao conhecimento da técnica de busca, ela assegura que ela "agiliza a recuperação de dados para redação de decisões".

No debate, instaurado já no curso das explicações sobre, por exemplo, quando e como fazer citações diretas e indiretas, citação de citação, supressões, notas de rodapé e notas de referência, emergiram muitas manifestações relativas à dificuldade de trabalhar sem a observância de um padrão de linguagem. Ricardo Wagner Rodrigues de Carvalho, assessor de apoio à 1ª Instância do TRT, sugeriu que seja discutida a viabilidade de criar um manual de redação para padronizar os documentos judiciais e administrativos da instituição. Segundo o assessor, "a padronização, com uso, inclusive, das normas da ABNT aplicáveis, além dos benefícios apontados pelos expositores, levaria à economia de tempo e ao aperfeiçoamento de peças como ofícios, requerimentos, memorandos, relatórios e até mesmo das minutas de sentença e voto".

Falta de padronização dos textos dificulta a pesquisa e a recuperação das informações desejadas (imagem 1)
Foto Madson Morais

Obras da Forense, LTr, Forum e Vlex acessíveis para servidores e magistrados

A participação do projeto pedagógico da Escola Judicial serviu também para Ana divulgar, com mais detalhes e de forma direta, os serviços que as bibliotecas do TRT-MG oferecem aos magistrados e servidores, com destaque para o acervo virtual, disponibilizado em seus sites, tanto pela Internet quanto pela Intranet, por ora apenas nas dependências do tribunal. Basta acessar "área restrita" > "Serviços (logo abaixo de área restrita)" > "publicações online" que o interessado tem acesso a livros e revistas das editoras Forense, LTr e Forum (consulta), bem como da editora Vlex, cujo teor, de todas as áreas do direito, inclusive internacional, pode ser salvo em PDF/Word e impresso.

Seja qual for a editora, porém, "toda publicação utilizada num trabalho como fonte de consulta tem de ser referenciada, mencionando o nome do autor e os dados de sua obra", afirma Ana Maria de Araújo, acrescentando que esse cuidado é básico e essencial, ainda que fora das normas técnicas. (Walter Salles)

Visualizações: