Guia de recolhimento eletrônico é instalada na 13ª VT

publicado 30/09/2013 14:52, modificado 30/09/2013 17:52

Desde o início desta segunda-feira, 30 de setembro, os depósitos judiciais de processos da 13ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte passaram a ser realizados através de guia de recolhimento eletrônico. A partir de agora, os advogados não têm mais que solicitar as guias para a vara, o pagamento pode ser feito diretamente através da internet. Com a geração de um código de identificação, passa a ser possível fazer o chamado TED judicial para transferência de valores a partir de qualquer conta bancária.

No início da tarde do primeiro dia de funcionamento da nova guia, uma reunião entre servidores do TRT responsáveis pela implantação do projeto e representantes do Banco do Brasil foi realizada para avaliar a novidade e debater ideias para aprimorar o serviço. A partir da experiência na 13ª vara da capital, o propósito do tribunal é ampliar o novo mecanismo para o conjunto da justiça trabalhista mineira.

Guia de recolhimento eletrônico é instalada na 13ª VT (imagem 1)
Participaram da reunião desta segunda, da esquerda para a direita: Gladstone Araújo, gerente de negócios do Banco do Brasil; José Eduardo Fortuna Couto, gerente de serviços do Posto TRT do Banco do Brasil; Rosemeri Moreyra Rios, servidora da 13ª Vara; Daniela Leite Rocha, diretora da 13ª Vara; Delmino Luiz Souza Campos, gerente da agência Serviço Público do Banco do Brasil; Marlon Bruno Abreu Rocha, assessor da Secretaria da Corregedoria do TRT; Lucas Vinícius, analista que trabalhou na adaptação do sistema para o TRT-MG; Rodrigo Possa, responsável pela adaptação do sistema; Christiane Dominique Kunzi, Assessoria de Gestão Estratégica

O sistema utilizado para o recolhimento eletrônico foi desenvolvido pelo TRT de Goiás e passou, ao longo de quatro meses, por adaptações locais, desenvolvidas pelos analistas judiciários da área de informática Rodrigo Possa e Lucas Vinícius. Responsável por coordenar os ajustes ao programa feitos em Minas Gerais, Possa falou sobre as vantagens da nova tecnologia, como o aumento da garantia para registro de informações corretas e a diminuição no uso de papel.

Daniela Leite Rocha, diretora da vara que está sendo pioneira no projeto, afirmou que o novo sistema garante mais agilidade para o advogado e para a secretaria, acabando com uma das tarefas hoje efetuada pelos servidores da vara. Além disso, a responsabilidade com os dados preenchidos para a emissão da guia agora passam para o depositante. Segundo o assessor da Secretaria da Corregedoria, Marlon Bruno Abreu Rocha, "o novo sistema de acolhimento dos depósitos judiciais é mais uma atitude do Poder Judiciário que visa atender às demandas da sociedade de informação, que pugna pela facilidade, agilidade e eficiência na prestação dos serviços públicos". (David Landau)

TRT-MG inaugura Central Permanente de Conciliação (imagem 1)

Visualizações:

Seção de Imprensa imprensa [arroba] trt3.jus.br