Jurisdição e Psicanálise abre I Semana de Formação Inicial Complementar 2013

publicado 11/03/2013 09:05, modificado 11/03/2013 12:05

Foi aberta na manhã desta segunda-feira, na Escola Judicial do TRT-MG, em Belo Horizonte, com painel sobre "Jurisdição e Psicanálise" apresentado pela psicanalista Judith Euchares Ricardo de Albuquerque, a I Semana de Formação Inicial Complementar/2013 para Magistrados em Vitaliciamento, como parte do Projeto de Formação Continuada de Magistrados.

Participaram, como debatedores, o desembargador Fernando Rios Neto e o juiz titular da 5ª VT de Belo Horizonte Márcio Toledo Gonçalves. Segundo a psicanalista, o juiz tem lidado cada vez mais com a subjetividade humana nos processos, e isso envolve conhecimentos não abrangidos por sua tradicional formação acadêmica. Ainda de acordo com ela, "qualquer desconforto, hoje, é visto como um dano provocado pelo outro, a ser reparado pelo Judiciário, e a psicanálise fala um pouco dessa contemporaneidade nos conflitos". Judith Euchares não nega a existência de danos efetivos decorrentes da ação ou omissão ilícita do outro, mas e adverte que esses casos de prejuízo substancial efetivo podem passar despercebidos em meio à banalização da afetação moral.

Jurisdição e Psicanálise abre I Semana de Formação Inicial Complementar 2013 (imagem 1)
Foto Leonardo Andrade

A Turma

A turma inscrita para esta I Semana de Formação Inicial Complementar/2013 é composta pelos juízes substitutos Alexandre Gonçalves de Toledo, Anderson Rico Moraes Nery, André Barbieri Aidar, Daniela Mori, Fábio Gonzaga de Carvalho, Helena Honda Rocha, Juliana Petenate Salles, Lenício Lemos Pimentel, Marcos Ulhoa Dani, Raphael Jacob Brolio, Ricardo Luiz Oliveira Tupy, Ricardo Machado Lourenço Filho e Vanderson Pereira Oliveira.

Animado com a oportunidade de suspender a atuação jurisdicional para investir na complementação do aprendizado da formação inicial, o juiz Lenício Pimentel acentua que os conhecimentos obtidos ou aprimorados no curso são muito importantes, pois o magistrado, na sua missão de transformar, pela promoção da Justiça, o meio social onde atua, tem de dar respostas, soluções e passar segurança aos jurisdicionados, e esses conhecimentos podem ser postos em prática já na próxima semana.

Programação

O curso prossegue à tarde, das 13h30 às 17h30, com painel sobre o sindicalismo no Brasil, a ser apresentado pelo desembargador Márcio Túlio Viana, com participação do servidor da Escola Judicial, historiador Rubens Goyatá Campante. Em seguida, haverá mesa redonda a respeito do movimento sindical visto pelos próprios sindicalistas representantes da CUT-CSD, Força Sindical, CUT-Articulação Sindical, CTB e Conlutas. O encerramento será na sexta-feira, com atividades todo o dia e avaliação, ao final. (Walter Salles)

Visualizações: