Ministro Carlos Alberto Reis de Paula é homenageado na despedida do CNJ

publicado 20/02/2013 13:49, modificado 20/02/2013 16:49

O Ministro Carlos Alberto Reis de Paula, eleito presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), foi homenageado ontem, dia 19, em Brasília, na sessão ordinária que marcou sua despedida do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Já na abertura dos trabalhos, o presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, lhe agradeceu pelo fraterno convívio e por compartilhar com os demais conselheiros "sua ágil e profunda inteligência". Joaquim Barbosa destacou os atributos morais do ministro Carlos Alberto: "Vejo a oportunidade de lembrar a importância de magistrados que, como ele, honram seus cargos de forma honesta, proba e íntegra".

Ministro Carlos Alberto Reis de Paula é homenageado na despedida do CNJ (imagem 1)

Os demais conselheiros também renderam homenagens ao presidente eleito do TST. O Conselheiro Ney de Freitas, por exemplo, avaliou como extremamente produtivo o mandato do Ministro Carlos Alberto Reis de Paula no CNJ, a ponto de prever que ele fará um grande trabalho à frente do TST. Já o presidente do Conselho Federal da OAB, Marcos Vinícius Coelho, parabenizou o Ministro por sua atuação no Conselho e manifestou-lhe apoio no exercício da presidência do TST. No mesmo sentido, as associações de magistrados e de juízes trabalhistas igualmente hipotecaram apoio a Carlos Alberto no seu novo desafio. O presidente da Associação de Magistrados Brasileiros (AMB), Nelson Calandra, pôs em relevo "sua coragem, seu desprendimento e sua presteza a serviço da sociedade".

O conselheiro Carlos Alberto retribuiu as palavras do ministro Joaquim Barbosa e dos demais conselheiros assegurando que o tempo passado no CNJ foi de muito aprendizado, especialmente por ter o colegiado uma característica muito própria, que é a pluralidade.

Carlos Alberto Reis de Paula nasceu em Pedro Leopoldo (MG), em 26 de fevereiro de 1944. Formou-se em Direito pela UFMG (1970) e Licenciou-se em Filosofia pela Faculdade de Divinópolis. Mestre (1984) e Doutor (2000) pela Faculdade de Direito da UFMG, foi professor de Direito do Trabalho e Direito Processual do Trabalho da UFMG e, desde 1999, é professor adjunto da UnB.
Iniciou a carreira no serviço público como professor do Colégio Estadual de Pedro Leopoldo. Foi aprovado em concurso público em 1972 para técnico de controle externo do Tribunal de Contas da União. Obteve segundo lugar nas provas escritas para Procurador da República e no concurso para Juiz do Trabalho Substituto da 3ª Região (MG). Presidiu Juntas de Conciliação e Julgamento e chegou, por merecimento, ao TRT/MG (1993). É Ministro do TST desde 25 de junho de 1998 e autor de livros e artigos diversos. Foi presidente da Terceira e Oitava Turmas do TST e diretor da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho (Enamat) no biênio 2007/2009. No dia 2 de março de 2009, assumiu a Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho para o biênio 2009/2011.

Integrou o Conselho Superior da Justiça do Trabalho como membro eleito de 2007 a 2009, e como membro nato, por ser Corregedor-geral da Justiça do Trabalho, de 2009 a 2011.

Indicado pelo TST, tomou posse como conselheiro do CNJ em 15/08/2011. Em 12 de dezembro do ano passado foi eleito, por votação unânime, presidente do TST e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) para o biênio 2013/2015. (Fonte: Foto e notícia da Agência CNJ, assinada por Waleiska Fernandes)

Visualizações: