Prova Oral de juiz do TRT começa com nove candidatos

publicado 25/11/2014 19:03, modificado 25/11/2014 21:03
Prova Oral de juiz do TRT começa com nove candidatos (imagem 1)
Fotos Leonardo Andrade

Com exame de nove candidatos, teve início nesta terça-feira, dia 25, no auditório do prédio histórico da Rua Curitiba 835, centro de Belo Horizonte, a prova oral do Concurso Público para Provimento de Cargos de Juiz do Trabalho Substituto do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região. Os outros candidatos serão sabatinados amanhã e quinta-feira, 10 em cada dia.

A prova oral, gravada em áudio e vídeo, consiste na arguição do candidato em sessão pública, por três examinadores. Cada examinador tem o prazo de 15 minutos para arguir o candidato sobre o conteúdo do ponto sorteado com antecedência de 24 horas. O decano do tribunal, desembargador Márcio Ribeiro do Valle, integrante da Banca Especial do concurso juntamente com o ministro aposentado Carlos Alberto Reis de Paula e o advogado Afonso Celso Raso, explica que na prova oral devem ser examinados o domínio do conhecimento jurídico do candidato, a adequação da sua linguagem, a articulação do seu raciocínio, sua capacidade de argumentação e o uso correto do vernáculo. De acordo com ele, os candidatos já mostraram ao longo do concurso que têm condições, que estão preparados, e a prova oral "é a aferição final dessa qualidade para que eles possam exercer bem a função de juiz, para que eles possam harmonizar sempre capital e trabalho e para que eles possam ser mola-mestra imprescindível e necessária ao alcance da sempre almejada paz social."

A confirmação desse preparo, com a aprovação de todos os 29 candidatos, é o que espera a presidente do tribunal, desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria, presente, hoje, no local da prova: "A expectativa melhor é que todos sejam aprovados", afirmou a presidente depois de realçar o preparo dos candidatos, alguns dos quais, segundo ela, já aprovados em outros regionais, e de lembrar a carência de magistrados por que passa o TRT de Minas.

Esse preparo reconhecido pela presidente com base nos resultados das etapas anteriores e na aprovação em outros regionais, parece ter sido detectado em provas de hoje pelo examinador Afonso Celso Raso: "Fico muito feliz de ver colegas advogados demonstrando pleno conhecimento e capacidade para o exercício da magistratura", declarou todo orgulhoso da sua profissão e por integrar a Banca Especial do certame.

Banca Especial e "muito criteriosa", segundo a presidente Maria Laura, para um exame de grande importância para a sociedade, "que deve estar muito satisfeita com a preocupação do tribunal em dar a ela a melhor prestação", segundo dizeres do Ministro Carlos Alberto Reis de Paula, cuja participação na banca teve para ele significado muito especial: "Me sinto gratificado, muito honrado com o convite e muito feliz de estar aqui novamente com os colegas magistrados e futuros magistrados da 3ª Região nesta mesma sala que em maio de 1979 minha turma se submeteu à prova oral de ingresso na magistratura trabalhista."

Resultados da prova

Cada examinador dá uma nota de zero a 10, individual e secreta, a cada candidato. Para aprovação, a média aritmética das três notas tem de ser igual ou superior a 6. As notas são dadas ao final de cada exame, quando são introduzidas em envelope posteriormente lacrado e rubricado pelos examinadores.

O conhecimento e a divulgação dos resultados estão previstos para o dia 2 do mês de dezembro de 2014, em sessão pública, na sede do TRT.

Quem também prestigiou os trabalhos da Banca Examinadora Especial foi a Secretária Geral da Presidência, Sandra Pimentel Mendes. Na assessoria e assistência, a subsecretária da Comissão de Concurso de Juízes Patrícia de Souza Barros, Landial Moreira e Maria Vianney Arruda Luz. (Walter Salles)

Visualizações:

Seção de Imprensa imprensa [arroba] trt3.jus.br