Servidores do TRT debatem em Simpósio qualidade de vida no trabalho

publicado 23/10/2014 15:02, modificado 23/10/2014 17:02
Servidores do TRT debatem em Simpósio qualidade de vida no trabalho (imagem 1)

Com a participação da presidente do TRT-MG, desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria, teve início na manhã desta quinta-feira, dia 23, no auditório da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte, o II Simpósio Qualidade de Vida no Trabalho, atividade de formação para magistrados e servidores promovida pelo tribunal por meio dos programas "Servidor em Pauta" e "Agente de Saúde", pela Escola Judicial, no âmbito do "Programa de Formação continuada de Magistrados"; e pelo "Programa Trabalho Seguro", do Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

Pioneirismo

Em pronunciamento na abertura do simpósio, o servidor Ronaldo da Silva, coordenador do "Servidor em Pauta", disse que a criação e institucionalização do programa, pioneiro na Justiça do Trabalho brasileira, somente foi possível graças ao empenho de servidores idealistas, que querem construir um espaço de discussão na instituição; ao apoio das administrações anterior e atual do TRT, e à percepção dos servidores em geral, que passaram a acreditar mais na possibilidade de participação nos rumos da administração do tribunal.

Lembrando que participar é uma coisa trabalhosa, que envolve sentimentos de frustração, por necessárias renúncias na busca do consenso, e de alegria pelos avanços conquistados, Ronaldo da Silva destacou, entre as muitas ações e resultados do Servidor em Pauta, a organização da reunião com os secretários dos foros, a participação ativa junto ao pessoal da Gestão Estratégica no nascimento da ideia de construir um Planejamento Estratégico Participativo 2015/2020 e a elaboração da Planilha de Conclusões, que contempla o diagnóstico de cada uma das unidades do TRT e da gestão do tribunal, conforme a percepção dos servidores.

Administração receberá bem a Planilha

Com a palavra, o diretor geral do TRT, Ricardo Oliveira Marques, recebeu muito bem o anúncio de que a Planilha de Conclusões será encaminhada à Administração do TRT. "É muito importante que os servidores tragam subsídios para a Administração trabalhar", afirmou o diretor.

Gestão participativa

Corroborando a assertiva de Ricardo Marques e de forma bastante descontraída, a presidente do TRT-MG, desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria, afiançou que a administração por ela liderada faz uma gestão em que se escuta e procura atender a todos, "sem se desviar do interesse maior da instituição". Ela falou também das virtudes do diretor geral, destacando a forma pela qual escolhe os colaboradores, e ressaltou que "aqui não há escolhas por critérios políticos, e se procura colocar as pessoas certas nos lugares certos". A Presidente abordou, ainda, a grande renovação do quadro de pessoal havida recentemente no TRT-MG, e procurou alentar todos ao considerar temporária a falta de valorização do Judiciário Federal pelos poderes Executivo e Legislativo.

Em sua fala institucional, a presidente Maria Laura Franco Lima de Faria reconheceu no Programa Servidor em Pauta "um valioso instrumento de 'gestão participativa' ou 'governança colaborativa'", representativo de novo modelo de gestão na Administração Pública, no qual, "em vez de figurarem como meros agentes passivos, os servidores são chamados a atuar e contribuir para a construção do futuro da organização, participando de modo efetivo dos processos decisórios". Para ela, com o tempo e devido ao Servidor em Pauta, "será possível conhecer melhor as carências e as demandas do quadro de pessoal do TRT da 3ª Região, o que contribuirá de modo crucial para a adoção de medidas salutares".

Reconhecendo também a importância dos servidores em geral, a Presidente disse que sem eles não haveria prestação jurisdicional. Indo além, salientou que é muito importante fomentar a participação do servidor nos debates institucionais, "sempre visando à maior transparência e moralidade na Administração, ao fortalecimento da integração entre as unidades, bem como à melhoria do clima organizacional, da saúde e da qualidade de vida no trabalho".

Representatividade e futuro

A desembargadora Maria Laura Franco Lima de Faria, presidente do TRT-MG, reconheceu a legitimidade dos presentes: "Vocês, que já participaram das reuniões descentralizadas em suas unidades, conhecem os anseios e as opiniões de seus colegas e são as pessoas ideais para representá-los neste Simpósio e perante a Administração". E conclamou todos a disseminarem as "boas ideias e boas práticas ora discutidas, levando até sua unidade tudo o que de bom - ou mesmo de ruim - possa-se extrair deste evento".

Lembrando que o intuito do simpósio é aprofundar os debates, a Presidente disse ainda que as propostas consolidadas em relatório, que vão subsidiar "a atuação futura da Administração", serão divulgadas a todo o corpo institucional, de forma a atingir todos os servidores.

Servidores do TRT debatem em Simpósio qualidade de vida no trabalho (imagem 2)
Internalização do Trabalho Seguro

Também não faltou ao discurso da Presidente a observação de que o olhar do Programa Trabalho Seguro, do Conselho Superior da Justiça do Trabalho, agora foi voltado para o público interno da Justiça do Trabalho, já que uma das metas estabelecidas para o Biênio 2014/2015 é a realização de uma "semana de promoção de saúde no trabalho e prevenção de acidentes nos tribunais, voltada a magistrados, servidores e terceirizados".

Nas palavras da desembargadora-presidente, "verificou-se, portanto, o que se pode chamar de 'internalização' do Programa Trabalho Seguro, que, além de se preocupar com a saúde dos trabalhadores em geral, passou a voltar-se também à saúde dos servidores, magistrados e terceirizados". Para Maria Laura, "isso é, de fato, uma urgência no Tribunal, tendo em vista os altos níveis de absenteísmo, decorrentes do adoecimento constante dos servidores".

Finalizando, a Presidente falou da necessidade das pausas e alongamentos ao longo da jornada e dos serviços de assistência psicológica disponibilizados pela Diretoria de Saúde do Tribunal, que deve ser acionada na detecção dos primeiros sintomas de adoecimento.

Acordos e Acordes

Antes de se iniciarem os trabalhos do seminário, servidores e integrantes da Administração do TRT-MG puderam assistir à apresentação do Coral Acordos & Acordes, que, sob regência do maestro convidado Leonardo Bittencourt e acompanhamento ao piano da desembargadora aposentada Cleube de Freitas Pereira, interpretou Cantate Domino (George F. Haendel), Canção dos Pescadores (Dorival Caymmi), Prelúdio para Ninar Gente Grande (Luiz Vieira e arranjo de N Santiago), Jesus Alegria dos Homens (J. S. Bach) e O Trem Caipira (Heitor Vila Lobos, arranjo de Ernani Maletta). O Acordos & Acordes, tem patrocínio da Caixa Econômica e apoio da Asttter.

Paralelamente ao evento, foi realizada a 1ª Feira de Trocas, promovida pela Comissão de Responsabilidade Socioambiental do TRT. Os participantes intercambiaram CDs, livros, bijuterias, e diversos outros tipos de mercadoria que não mais desejavam - porém em perfeito estado de uso e conservação - mas que poderiam ser úteis para outras pessoas. A realização da feira, como forma de promover a sustentabilidade, vem ao encontro da tendência mundial de criar alternativas ao atual consumo excessivo da sociedade.

Na sequência, os participantes do simpósio participaram do painel de debates sobre o tema Organização do Trabalho, com os painelistas: Giselle Reis Brandão, Fernanda Tarabal Lopes, Admardo Bonifácio Gomes Júnior.

Visualizações: