TRT abre Programa Permanente de Pós-Graduação com cursos para gestores do presente e do futuro

publicado 19/03/2013 14:05, modificado 19/03/2013 17:05

Foi realizada na manhã desta terça-feira, dia 19, na Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho, da Fundação João Pinheiro, em Belo Horizonte, a solenidade de abertura do Programa Permanente de Pós-Graduação do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, que tem início com o oferecimento de dois cursos de especialização em Administração Pública, um com ênfase em gestão de pessoas e o outro em gestão pública.

Em suas palavras de boas-vindas aos dirigentes e servidores do TRT, a diretora da escola, professora Luciana Raso, disse que o curso foi criado para estes e que está certa de que o objetivo almejado vai ser alcançado.

TRT abre Programa Permanente de Pós-Graduação com cursos para gestores do presente e do futuro (imagem 1)
foto Leonardo Andrade

Representando a presidente do TRT-MG, desembargadora Deoclecia Amorelli Dias, o desembargador vice-corregedor Márcio Flávio Salem Vidigal destacou que a reconhecida notoriedade da Fundação João Pinheiro, pela excelência na formação de administradores públicos, foi que levou o tribunal a restabelecer com ela uma parceria que já rendeu excelentes frutos. Para o desembargador, não há mais espaços para improvisos na Administração Pública, daí porque o TRT de Minas tem se esforçado muito para aprimorar, cada vez mais, a formação dos seus servidores.

O diretor-geral do TRT, Guilherme Augusto de Araújo, por sua vez, salientou que a qualificação dos servidores, num cenário de contínuas e importantes mudanças, constitui-se "num grande e importante investimento institucional" com vistas à "melhoria e aperfeiçoamento dos serviços prestados à sociedade e dos padrões de comportamento frente às tendências e desafios colocados pela realidade contemporânea".

Já a coordenadora de gestão de pessoas do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), Rosa Casado, enalteceu a iniciativa do TRT mineiro de investir na formação dos servidores da área administrativa, o que, segundo ela, não tem acontecido em outros regionais, cujos investimentos têm sido direcionados quase exclusivamente para os servidores da área judiciária. Com sabedoria, Rosa sublinhou que o oferecimento dos cursos mostra um tribunal com olhar para o futuro, pois, na sua visão, "sem servidores capacitados e motivados não vamos conseguir implementar as mudanças que estão aí". A coordenadora aproveitou também para esclarecer que o CSJT não tem, no controle, sua principal atribuição. Para comprovar sua assertiva, lembrou a atuação do órgão na união dos tribunais regionais e na padronização de direitos dos servidores, como, por exemplo, o auxílio-alimentação e assistência pré-escolar, bem como em normas de preservação da saúde em face dos efeitos do PJe-JT.

Outras visões sobre os cursos

De acordo com o diretor da Secretaria de Coordenação Administrativa do tribunal, Carlos Athayde Valadares Viégas, "aqueles que ocupam cargo de gestão no TRT, em sua maioria, promoveram sua formação pessoalmente, por meios individuais, e agregaram esta à sua formação profissional de anos de serviço no tribunal", mas, para ele, "a nova dinâmica da Gestão Pública determina a capacitação técnica e científica cada vez mais apurada e específica", em face do que, "buscando uma formação também dos futuros gestores do tribunal, demos início ao programa de formação de gestores em nível de pós-graduação, que seguirá nos próximos anos com os objetivos de prover capacitação de altíssima qualidade para os gestores e futuros gestores do TRT".

Finalmente, a diretora judiciária Sandra Pimentel Mendes disse entender que não há outro caminho que não seja o do investimento em capacitação para se conseguir, por meio de uma gestão bem feita, implementar os projetos de interesse da instituição e da sociedade. Lembrando o choque de gestão do governo estadual, direcionado a todos, ela acentuou que o investimento não deve ficar restrito à área administrativa, porque todos acabam sendo gestores, inclusive juízes, desembargadores e assessores.

Ainda há vagas

Os cursos têm início efetivo no dia 2 de abril, com término previsto para abril de 2014, com recessos de 13 de julho a 4 de agosto do corrente ano e de 15 de dezembro a 3 de fevereiro de 2014. O lapso de abril a outubro de 2014 é destinado à elaboração e apresentação de monografia. As aulas serão ministradas às terças e quintas-feiras, das 8h ao meio-dia.

Presentes também à abertura do programa, a diretora de Recursos Humanos, Maria Beatriz Abreu Rodrigues de Sousa, e a professora Letícia Godinho.

O curso com ênfase em gestão pública é composto de 368 horas-aula, e o de gestão de pessoas, 360 horas-aula. Para este último, ainda há vagas. Ambos serão subsidiados pelo TRT. Os interessados podem ligar para o Centro de Treinamento da Diretoria de Recursos Humanos (32387893/94) ou solicitar informações pelo e-mail cta@trt3.jus.br . (Walter Salles)

Visualizações: