TRT-MG encerra Semana da Execução com balanço das ações realizadas

publicado 30/08/2013 12:08, modificado 30/08/2013 15:08

Sob a coordenação do desembargador Márcio Flávio Salem Vidigal, vice-corregedor, membro do Conselho Consultivo da Escola Judicial e coordenador da Comissão de Execução, a Escola Judicial e a Comissão Regional de Efetividade da Execução Trabalhista da Terceira Região realizaram, na manhã desta sexta-feira, 30 de agosto de 2013, no Plenário do 10º andar do edifício-sede do TRT-MG, o "Encerramento da III Semana Nacional da Execução Trabalhista", com um painel de palestras e apresentação do balanço parcial de ações e resultados.

TRT-MG encerra Semana da Execução com balanço das ações realizadas (imagem 1)
Foto Augusto Ferreira

Ao público composto por servidores, magistrados, advogados, procuradores e estudantes de direito foi apresentado o desempenho da Secretaria de Execuções e Precatórios e do Núcleo de Pesquisa Patrimonial, bem como as medidas de efetividade na execução, a utilização das ferramentas eletrônicas, a participação do servidor no processo e a identificação dos tipos de devedor.

Mediado pelo juiz Ézio Martins Cabral Júnior, integrante da Comissão de Execução, o tema Semana Nacional da Execução e a Efetividade do Acesso à Justiça , foi apresentado em mesa-redonda composta pelas juízas Maria Cecília Alves Pinto, titular da 26ª VT, e Maristela Íris Malheiros, titular da 19ª VT e diretora do foro de Belo Horizonte, que falaram, respectivamente, sobre as boas práticas da execução e sobre as experiências da Secretaria de Execuções. Participaram também a servidora do Núcleo de Pesquisa Patrimonial, Graziella de Oliveira Malard, que expôs a experiência do Núcleo e as advogadas Paula Oliveira Cantelli e Geórgia Guimarães Bóson que falaram sobre a desconsideração da personalidade jurídica e a responsabilidade dos sócios, enfocando, cada uma, respectivamente, o ponto de vista dos empregados e dos empregadores.

O desembargador Márcio Flávio Salem Vidigal considerou o resultado da semana muito bom e falou sobre a importância da desconsideração da personalidade jurídica na execução. "Este é um tema que toca diretamente a execução no processo trabalhista, pois a desconsideração é quando a empresa não tem bens para responder pelo débito, ou se dissolve irregularmente, o juiz desconsidera a pessoa jurídica e dirige a execução aos sócios que a compõem e os atos executórios passam então a ser endereçados aos bens dos sócios, na medida em que a lei permite".

Depois das exposições, o desembargador apresentou um balanço parcial da Semana Nacional da Execução Trabalhista em Minas que se encerra hoje bem como as ações desenvolvidas pelo TRT da 3ª Região, entre as quais, a expedição de maior número de mandados de penhora, o incentivo à venda de bens penhorados por iniciativa particular e o aumento da utilização de ferramentas eletrônicas para quitação das dívidas, como o Bacenjud, que consiste no bloqueio de valores em conta corrente, e o Renajud, que penhora veículos diretamente no Detran. Também foram destacados o aumento no número de audiências de tentativa de conciliação em processos que se encontram em fase de execução nas varas do interior, da capital e região metropolitana, na Central Permanente de Conciliação e junto ao Núcleo de Conciliação da 2ª Instância e a conscientização, por meio de notícias e reuniões, da importância da efetividade da execução.

Os dados parciais apresentados pelo vice-corregedor, mostram que, até ontem, 29 de agosto, foram realizadas 1.200 audiências de conciliação em fase de execução e homologados 281 acordos, tanto em 1º quanto em 2º graus, num valor total de R$ 14.528.885,05. O valor do recolhimento previdenciário ficou em R$ 5.696.400,16 e o recolhimento fiscal alcançou o total de R$ 1.273.735,41.

A arrecadação obtida com o grande leilão realizado em Belo Horizonte nessa quarta-feira alcançou R$ 349.251,00 e R$ 1.385.099,00 com os leilões credenciados realizados em Belo Horizonte e região metropolitana. Os dados parciais dos leilões realizados no interior estão em processo de apuração.

O valor total arrecadado pelo TRT de Minas até ontem, 29 de agosto, foi de R$ 32.068.334,24, entre acordos homologados, leilões, pagamentos espontâneos, previdência e imposto de renda.

Ao encerrar o evento, o desembargador Márcio Flávio Salem Vidigal, agradeceu o empenho de todos que participaram da Semana da Execução, principalmente dos servidores, "sem os quais seria impossível esta realização, tanto pelo empenho, dedicação, disponibilidade, quanto pela boa vontade". (Márcia Barroso)

Visualizações: