Laboratório propicia contato de estudantes com processos históricos

publicado 26/11/2015 15:53, modificado 26/11/2015 17:53
Laboratório propicia contato de estudantes com processos históricos (imagem 1)
Foto: Leonardo Andrade

Estudantes de duas turmas do 9º período da Faculdade de Direito da UFMG participaram nesta quinta-feira (26) do Laboratório de Atividades Judiciais, do TRT-MG. Nessa visita ao Tribunal, os alunos manuseiam processos pertencentes ao acervo histórico do TRT mineiro, das décadas de 40 e 50, sob a coordenação da juíza Adriana Goulart de Sena Orsini, que também é professora das turmas.

Depois de folhar os autos dos processos, os estudantes tem que preencher um relatório, indicando dados das ações e fazendo considerações pessoais. Participaram da atividade 94 alunos.

A juíza Adriana Goulart Sena Orsini exaltou a importância que tem o contato material dos acadêmicos com os processos, ao propiciar uma reflexão sobre o Direito do Trabalho no contexto histórico específico. A partir desse manuseio, é proposta uma atividade, com o nome "O Tempo e o Processo", em que o estudante compara a realidade do trabalhador na década de 40 e a atual, e avalia diferenças nas características, no tamanho e na complexidade dos processos. Um dos aspectos característicos dos processos antigos é o fato de que as defesas, na época, eram orais.

De acordo com a magistrada que coordenou a atividade, essa experiência viabiliza uma formação mais transdisciplinar para os alunos, que leva a pensar, por exemplo, sobre se houve ou não efetivas mudanças na realidade do trabalho e na efetividade da justiça trabalhista. Para ela, "a história é cíclica e nos ensina, olhando para trás, a perceber os erros e acertos".

Wagner Damasceno, um dos alunos que participaram da visita, opina que a atividade é importante para ver a evolução do Direito do Trabalho. (David Landau)

Visualizações: