Seminário debate novas perspectivas para a resolução de conflitos

publicado 20/10/2010 15:35, modificado 20/10/2010 17:35

Magistrados, estudantes e operadores do Direito participam, no Salão Nobre da Faculdade de Direito da UFMG, do 1º Seminário Novas Perspectivas para a Resolução de Conflitos no Brasil . O objetivo dos organizadores é difundir e fortalecer o conhecimento em relação aos métodos de solução de conflitos, demonstrando sua viabilidade como alternativas ao Judiciário.

O desembargador Antônio Álvares da Silva e a juíza Adriana Goulart de Sena, do TRT-MG, participaram como palestrantes abordando os temas "Instrumentos e Meios da Conciliação" e "Acesso Material à Justiça: Utopia ou realidade?", respectivamente.

De acordo com a juíza Adriana Goulart de Sena, que é professora adjunta da Faculdade de Direito da UFMG e coordenadora da Semana da Conciliação no TRT-MG, o evento pretende discutir o efetivo acesso material à Justiça, na perspectiva de que conflitos existem e devem ser tratados de forma adequada com vistas a se implantar uma cultura transformadora e voltada à paz social.

Na programação desta quinta, encerrando o evento, haverá, a partir das 11 horas, palestras das professoras Miracy Barbosa de Sousa Gustin e Camila Nicácio, e da conselheira do CNJ Morgana Richa, que falará sobre o tema “Políticas Públicas de Resolução de Conflitos”.

O 1º Seminário Novas Perspectivas para a Resolução de Conflitos no Brasil é uma realização do Grupo de Pesquisa e Extensão RECAJ – Resolução de Conflitos e Acesso à Justiça – com o apoio do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, da Faculdade de Direito da UFMG, do Programa Pólos de Cidadania da UFMG, do CAAP - Centro Acadêmico Afonso Pena, e da Editora RTM.

Visualizações: