Vale e Ebate fecham acordo com ex-empregados em João Monlevade

publicado 02/06/2009 12:53, modificado 02/06/2009 15:53

Em audiência realizada nesta segunda-feira, 1º de junho, o juiz Márcio José Zebende, titular da 1ª Vara do Trabalho de João Monlevade, homologou acordos que beneficiaram 21 ex-empregados da empreiteira Ebate, que prestava serviços para a Vale, empresa que participou do acordo como devedora secundária. No acordo, que alcançou o valor médio unitário de R$ 6 mil, ficou estabelecido o pagamento de todas as verbas rescisórias devidas, incluindo as diferenças de FGTS e multa de 40% sobre os valores desse Fundo.

Esses trabalhadores não puderam retornar às suas residências, muitas delas localizadas fora do estado, uma vez que a empreiteira não pagou as verbas rescisórias. A Vale, apesar de beneficiária dos serviços, apenas manteve os trabalhadores em seus alojamentos.

Na tentativa de solucionar o conflito, os juízes titulares das duas Varas da cidade marcaram audiências de conciliação, incluindo na pauta todos os processos desses trabalhadores. No dia 28 de maio, o juiz Newton Gomes Godinho, titular da 2ª VT de Monlevade, homologou acordos que beneficiaram 31 ex-empregados da empreiteira. (Solange Kierulff)

Visualizações:

Seção de Imprensa imprensa [arroba] trt3.jus.br