Criada a Escola Judicial de Integração da América Latina

publicado 18/04/2011 08:12, modificado 18/04/2011 11:12

A ministra Eliana Calmon, corregedora Nacional de Justiça, presidiu no último dia 15, em Florianópolis (SC), a cerimônia de lançamento da Escola Judicial da América Latina (Ejal). A nova escola, com sedes no Rio de Janeiro, Buenos Aires, San José da Costa Rica e Granada, na Nicarágua, vai permitir o intercâmbio de conhecimento entre as escolas judiciais de 19 países da região. O lançamento foi feito durante o Encontro Nacional do Judiciário sobre Capacitação, realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O juiz José Eduardo de Resende Chaves Júnior, titular da 21ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte e presidente da Rede Latino Americana de Juízes (Redelaj), foi nomeado presidente do Conselho Deliberativo da Escola e o desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), José Sebastião Fagundes Cunha, será diretor-geral da Escola, idealizada de acordo com a proposta do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso. Os desembargadores Eduardo Augusto Lobato e César Machado, respectivamente, presidente do TRT-MG e presidente da Escola Judicial, foram convidados para integrar o corpo docente da nova Escola.

Além das autoridades do Judiciário e do CNJ, participaram do lançamento representantes do Judiciário de diversos países, como Peru, Uruguai, Costa Rica, Espanha e Argentina. (Márcia Barroso)

Visualizações:

Seção de Imprensa imprensa [arroba] trt3.jus.br