Escola Judicial do TRT discute novo projeto pedagógico

publicado 25/11/2011 16:41, modificado 25/11/2011 18:41

A pedagoga do trabalho Acácia Zeneida Kuenzer apresentou, nesta sexta-feira, 25, em reunião com magistrados e servidores, proposta de um projeto pedagógico para a Escola Judicial da 3ª Região cujo objetivo é reestruturar a sua linha de atuação, sistematizando a sua experiência, detalhando seus objetivos e estratégias. Para ela, a implantação do projeto vai facilitar a coordenação das atividades, e, ainda, a execução de novos projetos e aprimoramento dos já existentes.

Escola Judicial do TRT discute novo projeto pedagógico (imagem 1)
Foto: Divina Dias

A justificativa para a apresentação de um novo projeto pedagógico pelas escolas judiciais é, além do atendimento à exigência da Resolução 01/2008 da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento da Magistratura do Trabalho (Enamat), em seu artigo 5º, também atender a uma expectativa da 3ª Região que estabeleceu como desafio aprimorar a formação inicial e continuada de magistrados e servidores que atuam na atividade-fim no TRT mineiro.

Ao elaborar o projeto a pedagoga procurou cumprir, segundo ela, duas especificidades: superar a formação fragmentada que vinha sendo oferecida pela escola até então e identificar as competências para o trabalho e as competências e os conhecimentos que precisam ser desenvolvidos.

Em sua proposta, a professora Acácia Kuenzer, que já está trabalhando com o mesmo objetivo em outras instituições do judiciário trabalhista, procura estabelecer a construção de itinerários formativos para as atividades que compõem a prática jurisdicional tanto nas atividades-fim quanto na gestão. Itinerários, que segundo ela, são percursos a serem alcançados ao longo da prática laboral de acordo com as necessidades do processo do trabalho. Para isso, ela propõe trabalhar com princípios pedagógicos que permitam uma formação que articule a teoria e a prática, a parte e a totalidade, e a disciplinaridade e interdisciplinaridade tendo como foco sempre a prática jurisdicional.

Partiparam da exposição do projeto os desembargadores César Machado, diretor da EJ, e Márcio Vidigal, coordenador acadêmico da escola, no evento representando a presidente do TRT, Deoclecia Amorelli Dias, e os juízes Graça Maria Borges, Martha Halfeld, e Vítor Salino, todos membros do conselho consultivo também da EJ. E, ainda, o diretor-geral do TRT, Guilherme Augusto de Araújo, a diretora judiciária Sandra Pimentel, o assessor da EJ, Ronaldo da Silva, servidores da Escola Judicial e da Diretoria de Recursos Humanos do TRT da 3ª Região.

Após apresentação do projeto, ele vai ser discutido pelo Conselho Consultivo para posterior aprovação.

Visualizações: