Escola Judicial elabora novo projeto pedagógico para assistentes e assessores de magistrados

publicado 09/03/2012 12:00, modificado 09/03/2012 15:00

A Escola Judicial do TRT/MG realizou, nesta quinta-feira, 8 de março, uma reunião com magistrados e assistentes de 1º e 2º graus para a elaboração da programação de atividades referentes às formações iniciais e continuada de assessores e assistentes de magistrados. A reunião foi coordenada pela juíza Graça Maria Borges de Freitas, titular da VT de Formiga com a assessoria da doutora em educação Acácia Kuenzer, consultora pedagógica da Escola Judicial.

Escola Judicial elabora novo projeto pedagógico para assistentes e assessores de magistrados (imagem 1)

O objetivo, segundo a juíza, é montar o projeto de itinerário formativo da carreira de assistente de magistrados de 1º e 2º graus, definindo as competências necessárias para formações que serão realizadas por módulos de formação básica e complementar de todos os conhecimentos da carreira que poderão ser escolhidos pelos assistentes e assessores em módulos de acordo com a necessidade específica de formação.

Escola Judicial elabora novo projeto pedagógico para assistentes e assessores de magistrados (imagem 2)

A consultora pedagógica da Escola Judicial Acácia Kuenzer salientou que além da formação geral, é necessário um projeto de aperfeiçoamento das competências individuais, dos conhecimentos, desempenhos e formação específica. "É preciso implantar uma forma de superação da formação profissional, uma vez que o mundo está mudando rapidamente e há necessidade de criar novas soluções". Ela ressaltou que, além das mudanças, dos avanços tecnológicos, a própria estrutura de metas da JT exige cada vez mais ferramentas que vão além dos conhecimentos teóricos e isso implica em formar profissionais mais dinâmicos, com maior capacidade de criar soluções inovadoras e não apenas de desempenhar seu papel repetindo práticas e procedimentos.

O trabalho com itinerários formativos no TRT da 3ª Região foi iniciado com o planejamento dos cursos de formação inicial e continuada para juízes em processo de vitaliciamento, sob a orientação da juíza Graça Maria Borges de Freitas. O desafio que a Escola Judicial agora enfrenta é a expansão desta metodologia para a formação continuada de magistrados e servidores que exercem atividades-fim.

Escola Judicial elabora novo projeto pedagógico para assistentes e assessores de magistrados (imagem 3)

Um itinerário formativo é um plano de desenvolvimento de competências que tem como ponto de partida o perfil de profissional que se pretende formar a partir da análise do processo de trabalho. A consultora pedagógica explica que o plano contempla o trabalho na totalidade de suas dimensões: cognitivas, teórico-práticas e comportamentais, nos níveis inicial, intermediário e avançado. A partir do itinerário, os profissionais definem e planejam o seu percurso formativo ao longo do tempo, a partir de seus conhecimentos e experiências anteriores. Desta forma, substitui-se uma formação que historicamente tem sido fragmentada, por percursos orgânicos e contínuos. Desta forma, pretende-se assegurar mais qualidade à formação inicial e continuada de magistrados e servidores. O itinerário que se encontra em elaboração destina-se à formação de assistentes e assessores de magistrados de 1º e 2º graus. Acácia Zeneida Kuenzer é doutora em educação, professora titular aposentada da Universidade Federal do Paraná e está atuando como consultora da Escola Judicial. (Texto e fotos: Márcia Barroso)

Escola Judicial elabora novo projeto pedagógico para assistentes e assessores de magistrados (imagem 4)

Visualizações: