Avanços do PJe em sua nova versão são debatidos em ciclo de palestras

publicado 29/11/2013 17:13, modificado 29/11/2013 19:13

As novas funcionalidades do Processo Judicial eletrônico - PJe-JT - foram debatidas hoje no Ciclo de Palestras "PJe 1º Grau" - Versão 1.4.8 - Mudanças e Perspectivas , realizado no Plenário do TRT da 3ª Região, para diretores de varas, assessores e juízes de 1ª Instância. Ao abrir o evento, a presidente do tribunal, desembargadora Deoclecia Amorelli Dias, frisou que "somos pioneiros dessa grande revolução pela qual passa o Judiciário, dessa mudança de paradigmas. E lembrando que estão vencidas as metas de implantação do sistema, destacou, ainda, que a nova versão do PJe se pontua pela qualidade e não pela quantidade.

Avanços do PJe em sua nova versão são debatidos em ciclo de palestras (imagem 1)
"Somos pioneiros dessa grande revolução pela qual passa o Judiciário" (Desembargadora Deoclecia Amorelli Dias)
Avanços do PJe em sua nova versão são debatidos em ciclo de palestras (imagem 2)

O desembargador do TRT, Ricardo Antônio Mohallem, coordenador do Comitê Gestor Nacional do PJe-JT de 2º Grau, na mesma linha da presidente, lembrou que o sistema passou por uma fase de implantação, com alguns percalços, mas que atualmente o foco está na estabilização do PJe: "E fizemos mais do que isto, porque, além, da estabilidade, temos hoje uma ferramenta rica, com várias funcionalidades que serão muito úteis para todos os usuários do sistema".

Já o juiz Fabiano de Abreu Pfeilsticker, integrante do Comitê Gestor Regional do PJe-JT e do Grupo de Negócios do PJe 1º grau do CSJT, destacou que a nova versão, a 1.4.8, se destaca por três características: estabilização, performance e usabilidade. "Ela é centrada basicamente ao 1º grau e dedicada à usabilidade, ou seja, na forma como o usuário interage com o Programa. As melhorias na interface do programa tornaram o PJe mais rápido, melhorando sua performance. O usuário tem acesso mais direto e mais rápido às funcionalidades e sua atividade vai ser reduzida drasticamente na nova versão".

O juiz José Hortêncio Ribeiro Júnior, Coordenador do Comitê Gestor Nacional do PJe-JT 1º Grau, apresentou, em sua palestra, as novas modificações do sistema, ao todo, 357 pontos de melhoria na versão 1.4.8, sobre os números do PJe, suas perspectivas, o que foi feito e qual que a perspectiva futura do sistema: "O que é mais importante quando se discute a implantação do processo judicial eletrônico, que traz uma mudança substancial nas nossas formas de trabalhar, é sabermos o porque daquela mudança, porque escolhemos este e não outro sistema qualquer e quais são as características que fazem o PJe ser a escolha do Judiciário. Porque temos que nos convencer de que aqueles ganhos, aquelas características, são realmente importantes e determinantes para melhoria da nossa atividade jurisdicional".

Também participaram do Ciclo de Palestras a diretora judiciária, Sandra Pimentel Mendes, que explicou aos ouvintes como é realizado o atendimento ao usuário, e Gutemberg Rodrigues de Oliveira, diretor de suporte e teleprocessamento, que detalhou as melhorias realizadas na parte de infraestrutura de Tecnologia da informação do tribunal de TI, que agora está melhor preparada para o PJe-JT.

Avanços do PJe em sua nova versão são debatidos em ciclo de palestras (imagem 3)
Juízes José Hortêncio Ribeiro Júnior e Fabiano de Abreu Pfeilsticker; Sandra Pimentel Mendes e Gutemberg Rodrigues de Oliveira (fotos Madson Morais)

Presentes também ao evento o desembargador Fernando Rios Neto, coordenador do Comitê Gestor Regional do PJe-JT, e o juiz Luiz Evaristo Osório Barbosa, integrante do Comitê de Implantação do PJe-JT em Minas.

Visualizações:

Seção de Imprensa imprensa [arroba] trt3.jus.br