Juízes da Região Metropolitana de BH debatem a gestão judiciária na JT

publicado 06/12/2010 12:53, modificado 06/12/2010 14:53

Os juízes da Região Metropolitana de Belo Horizonte começam a discutir, nesta segunda e terça-feira, dias 6 e 7 de dezembro, o aprimoramento e uniformização das práticas de gestão judiciária da 1ª Instância nos 1ºs Encontros das Unidades Regionais de Gestão Judiciária e de Participação da 1ª Instância na Administração da Justiça do Trabalho de Minas Gerais (URGES) . Dos Encontros, que serão sediados, respectivamente, nas cidades de Pouso Alegre, Governador Valadares, Belo Horizonte, Montes Claros, Uberlândia e Juiz de Fora, participam todos os juízes titulares, auxiliares e substitutos que estiverem atuando nas respectivas Varas do Trabalho de cada uma das URGEs.

Em Belo Horizonte, reúnem-se no prédio da Justiça do Trabalho da Rua Mato Grosso, 36 juízes da Unidade Regional da Região Metropolitana (UME/TRT3), que engloba as VTs de Contagem, Betim, Nova Lima, Sabará, Santa Luzia, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Divinópolis, Pará de Minas, Itaúna e Matozinhos.

Juízes da Região Metropolitana de BH debatem a gestão judiciária na JT (imagem 1)

OBJETIVO DOS ENCONTROS

A exemplo do que ocorreu no I Encontro de Magistrados do Foro da Justiça do Trabalho de Belo Horizonte , realizado em agosto passado, os encontros regionais abrem um espaço importante de diálogo e troca de experiências para os magistrados sobre as práticas gerenciais e de procedimentos jurisdicionais. Os juízes pretendem discutir, ainda, nestes encontros, além da gestão judiciária, como simplificar, uniformizar e otimizar procedimentos e rotinas processuais em execução e fixar diretrizes para o cumprimento das metas estabelecidas pelo CNJ.

Juízes da Região Metropolitana de BH debatem a gestão judiciária na JT (imagem 2)

Segundo a juíza Cristiana Maria Valadares Fenelon, titular da VT de Ribeirão das Neves e coordenadora regional da URGE Região Metropolitana, além da grande oportunidade de integração, por meio da tecnologia, do interior e da Região Metropolitana com o TRT, a expectativa dos juízes é que se chegue à uniformização do processo de execução: "ela é prioritária, porque a execução é que dá efetividade à jurisdição".

Sendo a primeira vez que são chamados a participar efetivamente da gestão judiciária, a juíza considera que será altamente positiva a troca de experiências entre os magistrados e a participação na uniformização dos procedimentos judiciários. Ela lembra, também, que apenas com o surgimento da tecnologia foi possível a realização de eventos como este, que integram juízes em todo o estado: "a tecnologia mudou o modo como as pessoas pensam, como as pessoas interagem. Ela veio para ficar".

Durante todo o dia, os juízes irão debater a gestão judiciária divididos em 3 grupos de trabalho. Do grupo 1 farão parte os juízes titulares, auxiliares e substitutos da 1ª a 5ª VT de Betim, do grupo 2, os da 1ª a 5ª VT de Contagem, e o grupo 3, os das demais VTs da Região Metropolitana.

Participam como relator desta URGE o juiz Lucas Vanucci Lins, titular da VT de Nova Lima e a juíza Simone Miranda Parreiras, titular da 2ª VT de Divinópolis. Integram a Comissão Organizadora a juíza Luciana Alves Viotti, titular da 2ª VT de Contagem, e o juiz substituto Vinícius Mendes Campos de Carvalho. (Solange Kierulff)

Visualizações: