Segurança armada já foi contratada

publicado 29/12/2010 15:09, modificado 29/12/2010 17:09

Foi assinado no último dia 20, em Belo Horizonte, pelo diretor-geral do Tribunal Regional do Trabalho da Terceira Região (Minas Gerais), Luís Paulo Garcia Faleiro, o contrato de prestação de serviços de vigilância armada nos prédios que abrigam órgãos da instituição, inclusive no interior do Estado.

Essa contratação, precedida da regular licitação, implementa o objetivo da direção do TRT de reforçar a segurança do seu patrimônio material, do seu banco de dados e, principalmente, dos magistrados, servidores, advogados, procuradores do trabalho, peritos, partes, testemunhas e de todos que freqüentam ou venham freqüentar as suas instalações.

Com vigência de 12 meses, o valor global anual do contrato, da ordem de R$1.298.892,48, inclui o fornecimento de todos os materiais e equipamentos necessários à sua execução, inclusive armas, munições, coldre de cintura, colete balístico e respectivos acessórios.

O contrato exige que todos os vigilantes sejam escolhidos de forma criteriosa; que tenham boas referências, além de atestados de boa conduta e de antecedentes civil e criminal; que sejam treinados e que integrem os quadros de empregados da empresa contratada.

Esses vigilantes armados se juntarão aos agentes de segurança do Tribunal, que acabaram de concluir o Curso de Técnicas Avançadas de Segurança Privada. (Walter Sales)

Visualizações: