TRT de Minas recebe prêmio internacional

publicado 01/12/2010 07:55, modificado 01/12/2010 09:55

CEJA premia trabalhos de gestão judicial e TRT de Minas está entre os melhores das Américas

Os melhores trabalhos de gestão judicial, planejamento estratégico e de tecnologia da informação das Américas foram premiados nesta terça-feira (30), em Brasília, no VIII Seminário Internacional de Gestão Judicial, evento promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Centro de Estudos de Justiça nas Américas (CEJA)

O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região foi premiado pelo desenvolvimento do Sistema Integrado de Gestão Judiciária e de Participação da Primeira Instância na Administração . O presidente do TRT, desembargador Eduardo Lobato, recebeu o prêmio junto com o Juiz Antônio Gomes de Vasconcelos (ao centro, na foto), que foi o expositor do projeto. Em seu discurso, o desembargador disse que tudo começa e termina na 1ª Instância, portanto os juizes têm que ser ouvidos sobre a realidade e os problemas que vivem. Esta é uma iniciativa pioneira que começou com o 1º Encontro de Magistrados de Belo Horizonte e agora estamos interiorizando a experiência para que todos os juizes da 1ª Instância participem da administração .

TRT de Minas recebe prêmio internacional (imagem 1)
(foto: Agência CNJ de Notícias)

Além do TRT de Minas, foram premiados o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, o TRT da 9a. Região, a Justiça Federal na Paraíba, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, a Equipe Técnica de Gestão Judicial da Corte Suprema de Justiça da Argentina, a Defensoria Penal Pública do Chile, Suporte informático na Justiça Penal da Guatemala, a Corte Suprema de Justiça da Costa Rica, o Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região e outros dez projetos do Judiciário do Peru, Guatemala, Costa Rica, Argentina, Chile e Equador.

O evento, que buscou compartilhar as boas práticas desenvolvidas no Poder Judiciário, contou com a participação de magistrados das Cortes Supremas do Chile, Guatemala, Argentina, Portugal, Equador, Colômbia, Brasil e México.

Durante a cerimônia de encerramento, o secretário-geral do CNJ, Fernando Florido Marcondes, agradeceu a realização do seminário, que destacou ser fundamental para que se busquem novos caminhos para aprimorar o Judiciário. O seminário demonstra a boa vontade e o espírito público de servir a sociedade na busca de medidas para aperfeiçoar a Justiça , diz Marcondes. (Fonte: Agência CNJ de Notícias

Visualizações: