Posto UAI da Praça Sete sedia audiências de conciliação

publicado 02/12/2010 14:18, modificado 02/12/2010 16:18
Vem aí a Semana da Conciliação 2012 (imagem 1)

Dando continuidade à programação da VI Semana da Conciliação, a Justiça do Trabalho de Minas, em parceria com o Governo Estadual, montou um posto de atendimento no espaço UAI, da Praça Sete, no centro de Belo Horizonte. Foram inscritos dez processos e as audiências duraram, em média 15 minutos.

Empenhada na campanha pela solução pacífica e rápida das demandas jurídicas e para diminuir o número de processos no Judiciário, a juíza Adriana Goulart de Sena, titular da 35ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, realizou as audiências e aproveitou para agradecer a presença do Estado no processo de abertura das portas de todas as instituições públicas para facilitar o acesso de todos os cidadãos aos seus direitos fundamentais: ¿Quero agradecer a parceria do Estado, que demonstra ter a mesma visão da Justiça do Trabalho e caminha para ampliar o acesso dos cidadãos aos serviços públicos essenciais ao pleno exercício da cidadania¿.

Representando o Governo de Minas, o secretário-adjunto de Planejamento e Gestão, Eurico Bitencourt, elogiou a iniciativa da Comissão de Conciliação da JT e destacou a importância desta parceria, pioneira com o Poder Judiciário, para contribuir com a Semana da Conciliação: É muito importante que o cidadão perceba o Estado como um facilitador do acesso aos seus direitos e esta garantia é possível quando há iniciativas como esta da Justiça do Trabalho, que escolheu o posto de atendimento do UAI ¿ Praça Sete, por ser na área central da capital mineira abrigar audiências da Semana de Conciliação .

Posto UAI da Praça Sete sedia audiências de conciliação (imagem 2)
(Foto: Rachel Ameno)

O advogado Gilmar Dias Vieira, o representante de uma empresa envolvida no primeiro processo, Fernando Fabri e o reclamante, conseguiram um acordo e saíram satisfeitos da audiência: O acordo foi justo e houve reciprocidade na conciliação. Tanto nós da empresa quanto o ex-funcionário saímos tranqüilos com o acordo realizado, onde a intransigência foi quebrada. Além disso acabamos exercitando nossos limites, uma vez que em todo processo as duas partes acham que tem razão e quando ele se estende, há sempre quem fique insatisfeito. Aqui não, além de um acordo justo, a demanda permitiu que saíssemos amigos , ressaltou o advogado Gilmar Dias Vieira.

A segunda audiência durou menos de 10 minutos e foi uma rescisão indireta, onde houve a conciliação entre as partes com o pagamento de todas as verbas legais da reclamante Nayara Joana, que também saiu satisfeita da audiência: Estou muito feliz porque vou receber tudo que tenho direito em parcela única e poder me preparar para o Natal , disse.

O advogado Joaquim Rufino França Filho considerou a audiência um sucesso e destacou a importância da conciliação: É muito melhor fazer um acordo que seja justo para as duas partes do que enfrentar o desgaste entre idas e voltas aos tribunais e hoje aqui, foi rápido e ficamos satisfeitos com o resultado do acordo , comemorou. (Márcia Barroso)

Visualizações: