Giftbox e convite a eventos do Comitrate

publicado 28/07/2017 01:49, modificado 28/07/2017 02:52

Comitrate promove maratona de conscientização em eventos em série 

Uma caixinha de presente pode trazer surpresas desagradáveis. Foi com essa analogia que a giftbox da Clínica de Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas da Faculdade de Direito da UFMG recebeu as pessoas no stand montado no hall da sede do TRT-MG, em Belo Horizonte, durante os dias de evento. O objetivo foi conscientizar os visitantes sobre temas como trabalho escravo e tráfico de pessoas. A caixa ficou aberta à visitação do público e quem entrou pôde conferir três histórias reais e impactantes de pessoas submetidas a condições de trabalho degradantes.

Em entrevista concedida por ocasião do evento, a advogada da Clínica de Trabalho Escravo, Marcela Rage, explicou que a giftbox é parte de uma campanha de conscientização lançada em 2012 no Reino Unido, durante as Olimpíadas de Londres. “A caixa representa as situações em que acontece o aliciamento de pessoas. O aliciador aborda as vítimas e vende sonhos numa embalagem muito bonita. Depois, quando elas se deparam com a realidade, vem a surpresa de uma verdade nada agradável. As vítimas estão em situação de vulnerabilidade”, explicou.

Ela ainda lembrou que existe o disque 100, em que a população pode denunciar casos envolvendo violação de direitos humanos. A Clínica também possui um telefone (31 99688-8364) e é formada por equipe de professores, advogados e estudantes de Direito da UFMG, que oferece assistência jurídica gratuita às vítimas de tráfico humano e trabalho escravo. A coordenação fica a cargo dos professores Lívia Miraglia e Carlos Haddad.

Desembargador divulga eventos

Palestra_TRT018.JPG

Mediador dos painéis do Congresso, o desembargador José Eduardo de Resende Chaves Júnior comentou e divulgou uma série de eventos que vem sendo realizados pelo Comitê Estadual de Atenção ao Migrante, Refugiado e Apátrida, Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Erradicação do Trabalho Escravo–COMITRATE, tudo no esforço de enfrentamento real desse grave problema social do nosso país.

Confira, prestigie e divulgue:

- 23 de julho – Comitrate: Campanha para combater o Tráfico de Pessoas, da Aspromig-Associação de Prostitutas de Minas Gerais

- 24 a 28 – Campanha de Sensibilização contra Violência, Violação de Direitos Humanos e Tráfico de Pessoas: No hipercentro de BH, envolvendo 32 hotéis da região da Guaicurus e sistema prisional. Realização Oblata – Diálogos pela Liberdade, Pastoral da Mulher-BH.

- 27 de julho – Oficina de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, para prevenção e conscientização com material informativo, na sede da pastoral (Av Santos Dumont, 664). Realização Oblata.

- 30 de julho, 9h  - Campanha Coração Azul, em Juiz de Fora: Em parceria com o Instituto de Educação e Cidadania, na feira da cidade. Será abordado o tráfico de pessoas para diversos fins de exploração. Terá apresentação do “Esquizodrama”, com óculos de realidade virtual e Gift box.

- 30 de julho, 18h – Inauguração da iluminação do Palácio do Governo, em Belo Horizonte, de azul, como abertura da Campanha Coração Azul pelo enfrentamento do tráfico de pessoas. Performance de Luz.

- 1º de agosto: Abertura na Praça da Liberdade de evento sobre enfrentamento do tráfico de pessoas. Ás 14 horas, na Biblioteca Luís de Bessa, Jornada em prol do enfrentamento ao tráfico de pessoas: fenômeno migratório contemporâneo.

- 2 de agosto: Roda de conversa sobre tráfico sexual feminino: violência e violação dos direitos das mulheres, travestis e mulheres trans. Local: Defensoria Pública de MG

- 3 de agosto: Luta contra tráfico de pessoas: violência, criminalidade e ciclo de justiça. No TJ-MG – Auditório do Anexo 2 da Rua Goiás. Às 18h, Performance de luz.

- 4 a 7 de agosto – Encerramento da Campanha Coração Azul, no saguão do aeroporto de Confins. Às 18h, Encerrando a maratona de conscientização, a Performance de luz final.

Na sequência, o desembargador convida o primeiro palestrante a dar início ao primeiro painel do congresso: Perspectivas do Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil: diagnóstico e desafios.

Primeiro palestrante: Padre Ricardo Rezende Figueira, Professor adjunto da Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

Segundo palestrante: Leonardo Sakamoto, diretor da Repórter Brasil e conselheiro no Fundo da ONU contra Escravidão.

Debatedores :

- Nilmário Miranda, Secretário de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania de Minas Gerais.

- Daniel Dias de Moura, Conselheiro da OAB-MG.

Visualizações:

Subseção de Notícias Jurídicas noticiasjuridicas [arroba] trt3.jus.br
registrado em: